Publicidade
Esportes
Craque

Presente e futuro juntos: mãe e filha vencem provas no Festival Aquático do Cigs

Yuri Sasai e a filha Fernanda Sasai deram um show nas águas do rio Negro e venceram suas categorias neste domingo, na Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus. A parceria promete dar frutos, mas sem pressão da mamãe coruja 06/09/2015 às 14:35
Show 1
Família Sasai unida no esporte: Mãe e filha foram campeãs em suas categorias.
Denir Simplício Manaus (AM)

Todos devem conhecer o ditado “Filho de peixe, peixinho é”. Mas poucas vezes ela se encaixou tão bem como durante a disputa do 1º Festival Aquático 100 Anos do CIGS.

Mãe e filha caíram nas águas do rio Negro em busca de medalhas e conquistaram o lugar mais alto do pódio. A triatleta Yuri Sasai, de 45 anos, e Fernanda Sasai, de apenas 9, foram campeãs em suas categorias. Enquanto a pequena Fernanda terminou a bateria do aquatlo (natação e corrida) como a melhor das meninas até a idade dela, a “mãezona coruja” incentivava do lado de fora. Terminada a competição dos pequenos foi a vez da filha torcer pela mãe na disputa dos 1.500m da prova de natação.

 Yuri Sasai nasceu no Rio de Janeiro e foi nadadora do Fluminense na juventude. Porém, teve de abandonar as competições por mais de 20 anos para se dedicar aos estudos e a família. A, agora, dentista resolveu voltar aos treinamentos há aproximadamente quatro anos e incentivou a filha a acompanhá-la nos treinos, mas sem a forçação de barra de outros pais.

“Acho que tem de deixar tudo como uma brincadeira. Criança tem que brincar. Não pode forçar demais, se não a criança perde o foco. Mas tarde, se ela realmente quiser (ser atleta profissional), ela vai”, explicou a mãe.

Sempre que podem, mãe e filha disputam as mesmas competições, em categorias diferentes. No início do ano Yuri e Fernanda, que nasceu no Amazonas, participaram de um evento em Aracaju, no Sergipe. E assim como na prova de ontem foram campeãs.

“Participamos em categorias diferentes. Eu ganhei na minha, até 49 anos. Ela ganhou na dela e venceu os menininhos lá (risos). Foi legal porque foi no rio também. A correnteza estava forte. Mas ela se saiu bem”, relembra a mãe orgulhosa.  


Publicidade
Publicidade