Sábado, 24 de Agosto de 2019
Craque

Presidente da FAF, Dissica Valério Tomaz, anuncia candidatura à reeleição em 2015

Dissica anunciou durante reunião a abertura do Edital de Convocação das eleições para a diretoria da federação e falou sobre o futuro do futebol amazonense na era pós-Arena da Amazônia



1.gif Dissica disse que a Copa deixou boa infraestrutura para o futebol local
10/10/2014 às 13:18

Em reunião na sede da Federação Amazonense de Futebol (FAF) na tarde de ontem, o presidente da entidade, Dissica Valério Tomaz, anunciou a abertura do Edital de Convocação das eleições para a diretoria da federação no ano de 2015 e confirmou sua candidatura à reeleição. Ele também falou sobre o futuro do futebol amazonense na era pós-Arena da Amazônia.

Em conversa com jornalistas, após a reunião que votou também a manutenção da Série B do Campeonato Estadual, o dirigente foi enfático ao afirmar, com entusiasmado e otimismo, que o destino do futebol local pode estar prestes a dar uma guinada. “Nós (federação e clubes) passamos por momentos muito difíceis. Agora temos estádio e suporte financeiro do Governo. Não tem desculpa. Nós temos uma estrutura que nos faz chamar a responsabilidade para nós. Nós temos que reagir. Temos que mostrar que podemos fazer futebol profissional de qualidade no Amazonas. Está tudo propício ao sucesso”, disse o dirigente.

Série B mantida

Na reunião, os dirigentes dos oito clubes da Série A do Campeonato Amazonense também decidiram pela manutenção da Série B (Segunda Divisão), que corria o risco de ser extinta do calendário anual de competições da federação após sete anos de criação do segundo escalão do futebol baré.

Por sete votos a um, foi mantida a Série B, que será disputada em novembro deste ano por Rio Negro, Clipper, CDC Manicoré, Operário e Tarumã. Os recém-rebaixados Holanda e Sul América devem participar da competição apenas em 2015.

Clubes obrigados a ter base

De acordo com o presidente da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Dissica Valério Tomáz, a partir do ano que vem, os clubes de futebol profissional do Amazonas (atualmente são 15, sendo dez da Série A e cinco da Série B), serão obrigados, pelo Estatuto da federação, a manter equipes nas divisões de base do futebol estadual.

A mudança busca a adequação à lei 10.671, popularmente conhecida como Estatuto do Torcedor, que institui o fomento às categorias de base do futebol brasileiro. Vários clubes amazonenses não tem elencos de base.

“Sem categorias de base, os clubes ficam à mercê de jogadores de fora”, declarou o presidente. “Vamos alterar o regulamento até o fim do ano”, garantiu Dissica Tomáz.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.