Quinta-feira, 24 de Setembro de 2020
PARCERIA

Presidente do 3B exalta parceria com o Iranduba: 'Ajuda o futebol feminino'

Bosco Brasil, presidente da Fera, detalhou acordo e como ficará a 'nova' comissão técnica. Hulk agora tem para o retorno da Série A1 elenco de 19 jogadoras, além de estrutura para treinamentos



WhatsApp_Image_2020-08-26_at_15.30.29_F2208289-DC1E-4937-93A7-DAE40DE36337.jpeg Foto: Aguilar Abecassis/Freelancer
26/08/2020 às 16:06

Nesta quarta-feira (26), o 3B Sport oficializou a parceria com o Iranduba, representante amazonense na Série A1 do Brasileiro Feminino e que viu um imbróglio com o patrocinador máster se intensificar durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Por conta disso, o Hulk perdeu, praticamente, todo o elenco durante a paralisação do calendário.

Agora, no retorno da elite do futebol feminino, o Iranduba terá o elenco de 19 jogadoras da Fera da Amazônia e toda a estrutura do clube que possui Centro de Treinamento no bairro Aparecida, Zona Sul de Manaus, e representa o futebol amazonense na Série A2 do Brasileiro Feminino.



O acordo firma a liberação de jogadoras do 3B para o Iranduba até o dia 18 de outubro, quando acontece a última rodada da primeira fase da Série A1. Uma semana depois, no dia 25 de outubro, é a vez da Fera da Amazônia ter compromisso pela Série A2, no retorno da divisão de acesso. Porém, nem uma possível classificação do Hulk, que ocasionaria um conflito de datas, vai tirar o foco da ‘nova’ equipe.

"Vamos trabalhar passo a passo. Ideia é que o Iranduba não seja rebaixado, esse é o projeto principal. Mas não tem nenhum acordo (para não classificar), eu nem toparia. Vamos jogar do começo ao fim para ganhar. Se acontecer isso, seria o maior prazer deixar o Iranduba classificado e aí na próxima fase eles teriam que dar um jeito”, ressaltou Bosco Brasil, presidente do 3B Sport.

Nova comissão


Cavalo continuará sendo treinador do Iranduba, mas agora de atletas do 3B. Foto: Denir Simplício

Segundo o mandatário da Fera da Amazônia, apenas o treinador João Carlos Cavalo e o membro da comissão técnica José Said vêm do time esmeraldino para o projeto. Os dois se juntam com a comissão técnica e as 19 jogadoras do 3B Sport. Paulo Galvão, que havia sido efetivado no comando técnico da Fera da Amazônia após a saída de Marcelo ‘Tchelo’ vai acumular os cargos de auxiliar e preparador de goleiros.

Recém-contratada para ser auxiliar técnica e gerente de futebol do 3B Sport, a ex-Iranduba Renata Costa, a ‘Koki’, está de volta ao Hulk da Amazônia, indiretamente. Na junção das comissões técnicas, a ex-zagueira com passagens pela Seleção Brasileira vai continuar na função, agora na elite do futebol feminino brasileiro.

'Trégua do Abacaxi'?


Na final do Amazonense de 2017, clubes protagonizaram 'Guerra do Abacaxi'. Foto: Arquivo AC

A ajuda, para Bosco Brasil, visa fortalecer o futebol feminino do Amazonas. Para isso, arestas do passado, como quando 3B e Iranduba, nas pessoas do presidente da Fera e do diretor de futebol do Hulk, Lauro Tentardini, protagonizaram a ‘Guerra do Abacaxi’ em seguidas finais estaduais, precisaram ser superadas.

"Eu comecei no futebol feminino com o Iranduba. Quero ajudar essa torcida que o Hulk tem e ajudar o futebol feminino do Amazonas também, claro. Brigamos lá no passado, mas graças a Deus não tenho rixa com ninguém. Tenho falado com o Lauro (diretor de futebol do Iranduba) a todo o minuto", explicou Bosco Brasil, presidente do 3B, relembrando momento de divergência entre os clubes.

News leonardo 9028af08 26fb 4271 b322 4409cded8370
Repórter do Craque
Jornalista em formação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e repórter do caderno de esportes Craque, de A Crítica. Manauara fã da informação e que procura aproximar o leitor de histórias – do futebol ao badminton.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.