Terça-feira, 18 de Junho de 2019
Craque

Presidente do Nacional atribui derrota à falta de sorte

Jogador Garanha acredita que poderia ter decidido a partida



1.jpg Ídolo do Naça, Garanha gostaria de ter entrado no jogo de ida
14/09/2013 às 16:57

O presidente do Nacional, Mário Cortez, acredita que a falta de sorte na partida contra o Salgueiro (PE), quando o Naça empatou em 2 a 2 jogando em casa, foi o principal motivo da eliminação da Série D do Campeonato Brasileiro. Na avaliação de Cortez, a diretoria nacionalina fez tudo que estava ao seu alcance em termos de estrutura para que o Leão da Vila Municipal pudesse ter ido mais longe.

“Faltou sorte. No segundo tempo da partida contra o Salgueiro em Manaus, nós bombardeamos o adversário e a bola não entrou. Fizemos tudo direito em termos de estrutura e na hora do ‘vamos ver’ a onça bebeu água. Montamos um bom time, viajamos um dia antes das partidas para nos adaptar e amenizar o cansaço, enfim, tudo que podíamos fazer”, lamentou o presidente nacionalino.

De acordo com Mário Cortez, que fica como presidente do clube até janeiro de 2015, a pré-temporada do Nacional para o ano que vem vai começar em dezembro. Ele disse que o clube vai manter a base do time com 15 jogadores que disputaram o Campeonato Amazonense, a Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro deste ano.

“Vamos começar os treinamentos no dia 1º de dezembro. O Campeonato Amazonense de 2014 inicia em janeiro. Tentamos fazer tudo certo. O que não vamos repetir para o ano que vem é contratar jogadores às pressas. Contratamos sem pesquisar o histórico do atleta, se estava jogando, (se) era disciplinado ou não; alguns estavam sem preparo físico para jogar os 90 minutos”, explicou Cortez.

Lamentações

Considerado um dos ídolos do Nacional, o experiente atacante Garanha disse que foi a primeira vez que participou da Série D do Campeonato Brasileiro, embora tenha disputado cinco Brasileiros pelo Naça na Série C.

“Sinto muita tristeza porque o Nacional não conquistou o acesso para a Série C. Existem muitas pessoas que torceram por nós. Mas acredito num futuro melhor. Ainda não decidi se vou encerrar a carreira. Acredito que poderia ter ajudado mais o clube, mas fui pouco utilizado esse ano. Poderia ter entrado contra o Salgueiro quando o time estava pressionando no jogo aéreo”, afirmou o atacante azulino, conhecido pela boa presença de área na jogada área.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.