Publicidade
Esportes
Interrogação

Presidente do Rio Negro fala sobre preparação da equipe e previsões futuro do clube

Com a saída de Lana e de jogadores como Branco, Rio Negro segue ainda como uma incógnita para o Barezão de 2017 15/01/2017 às 05:00
Show img0017410257
Rio Negro terminou o último Campeonato Amazonense na quarta posição. (Foto: Evandro Seixas)
Valter Cardoso Manaus-AM

 O Campeonato Amazonense de Futebol se aproxima e as equipes já começam se reunir para planejar para a temporada. Se recuperando de grandes problemas financeiros, o Atlético Rio Negro  Clube  ainda aguarda para fazer os primeiros movimentos no mercado.

“Nós estamos primeiro  participando das reuniões da federação para ver como vai ser o campeonato e a partir daí criar uma estrutura para a gente participar. Agora nós vamos participar da melhor forma que for possível”, explicou Thales Verçosa, presidente do Rio Negro. 

A próxima reunião da Federação Amazonense de Futebol está marcada para segunda-feira (16), onde devem ser definidos os detalhes financeiros para participação.  É justamente a questão financeira que tem pesado no Galo da Praça da Saudade nos últimos anos.  De acordo com o presidente do clube, o time chegou a ter mais de R$ 6 milhões em dívidas, mas metade já teria sido abatida. Mesmo assim uma coisa é certa: “O Rio Negro não pode deixar de ter futebol, ele foi criado para o futebol”, garante Thales.

Até o momento a equipe ainda não apresentou a comissão técnica que vai comandar a formação da equipe, mas o mandatário do clube já tem uma data limite para o início dos trabalhos visando a disputa do campeonato Estadual. Até o fim o fevereiro, o time deve estar pronto e trabalhando, um mês antes do início da competição.

Futuro
Enquanto o elenco da temporada não está formado, os elencos das divisões de base são as grandes esperanças para o Rio Negro nos próximos anos. “A nossa ideia é dar continuidade ao trabalho que nós começamos no ano passado com o sub-20 e ver se a gente consegue montar uma estrutura  para daqui a dois anos ter uma base do Amazonas”, explicou o presidente Thales Verçosa

Na justiça
Pouco antes do início do Campeonato Amazonense de 2016 o Rio Negro ganhou as manchetes dos noticiários ao anunciar a chegada do treinador Dodô e de jogadores renomados a equipe, como Abuda e Alan Bahia. Esses nomes de peso só foram viabilizados por conta de uma parceria com uma empresa esportiva, que tinha no currículo uma série de polêmicas em modelos de trabalhos semelhantes. Antes mesmo de iniciar a disputa do Barezão, Dodô deixou o time e o processo de rescisão com a empresa iniciou. Hoje, corre na justiça. 

“Nós entramos na justiça, rompendo o contrato e pedindo o ressarcimento do que nós havíamos gastado. Mas é muito pouco, ainda bem que nós detectamos no início e não deixamos acontecer”, finalizou o presidente da equipe rio negrina Thales Verçosa.

Publicidade
Publicidade