Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
8874_99C297B9-1D95-4AEF-9F40-E0FFA2DB12C0.jpg
publicidade
publicidade

FORÇA

Primeira mulher amazonense no UFC, Ketlen Vieira quer incentivar outras atletas

Nos últimos anos o MMA vive verdadeira explosão de popularidade. Mesmo ainda sendo minoria, as mulheres também seguiram o movimento de evolução


10/03/2019 às 19:56

Se o assunto é a luta por espaço das mulheres, o MMA representa de forma literal todas as batalhas que elas precisam enfrentar para chegar ao topo do esporte. Ketlen Vieira, por exemplo, chegou ao maior evento da modalidade e se tornou a primeira lutadora amazonense a estar no UFC, mas os planos da “Fenômeno”, ainda vão muito mais longe, dentro e fora dos octógonos.

 “Acredito muito que pelo fato de eu ser a primeira (amazonense no UFC), muitas atletas vão se motivar e ver que é possível sim. Depende da gente, do nosso esforço, da nossa batalha, é difícil para todo mundo, nunca foi fácil para mim.  Hoje em dia ainda é muito difícil, apesar de estar de estar no UFC ainda sofro com falta de patrocínio, incentivo, mas uma coisa que eu sempre quis foi motivar outras mulheres, meninas, outros meninos também, a seguir esse caminho e espero que em um futuro muito breve eu tenha mais companheiras amazonenses no UFC também”,  garantiu a lutadora da categoria peso-galo.

Nos últimos anos as artes marciais mistas viveram uma verdadeira explosão de popularidade, com isso o número de atletas cresceu e, mesmo ainda sendo minoria, as mulheres também seguiram o movimento de evolução. “Acho que cada vez mais tem aumentado o número de mulheres que treinam e não acho que seja difícil uma mulher se tornar profissional, muito pelo contrário. Se você for entrar em uma academia você vai ver cinquenta homens e cinco mulheres, então  acho que as mulheres vem ganhando cada vez mais espaço, crescendo e brilhando. Hoje a gente pode assistir várias lutas no UFC, mulheres em card principal, mulheres disputando o cinturão, a gente acabou ter uma grande luta entre a Chris Cyborg e a Amanda Nunes, onde era uma das lutas mais aguardadas. Então acho hoje em dia as mulheres tem ganhado sim o seu espaço”, analisou Ketlen.

Recuperação

Superar as dificuldades parece mesmo ser uma das marcas da Ketlen. A lutadora estava prestes a enfrentar Tonya Evinger no UFC São Paulo, em setembro do ano passado, com possibilidade até de lutar pelo título na sequência, mas na reta final de preparação para o confronto se machucou no treino e teve lesões no ligamento cruzado anterior e no menisco do joelho direito.

A amazonense precisou passar por cirurgia e se afastou do octógono em um de seus melhores momentos da carreira. Agora, Ketlen foca no processo de recuperação para voltar ainda melhor. “Eu estou na fase final de recuperação da minha lesão, graças a Deus. Estou na parte de fortalecimento, o joelho já está 80% pronto, faltam mais 20% e, se Deus quiser, vou estar voltando a lutar em breve ainda. Com certeza esse ano ainda vou fazer uma luta, gostaria de fazer duas mas tenho que respeitar meu corpo, não posso acelerar o processo. Tenho toda uma equipe trabalhando, me ajudando para que eu possa recuperar 100% e esse joelho nunca mais vir a dar algum problema”, explicou a lutadora que projeta retornar aos octógonos até agosto.

Mesmo durante o período de recuperação, a atleta amazonense segue focada e se mantém no peso enquanto segue trabalhando a parte de cima do corpo, com todo o cuidado possível. Tanta dedicação tem um motivo: a amazonense segue focada no sonho de ser campeão do UFC.

“Eu acredito no que minha equipe acredita, se os meus treinadores, se o Dedé (Pederneiras) achar que eu devo lutar pelo cinturão e eu receber a oportunidade eu vou lutar. Se ele achar que não, que eu devo fazer uma, duas ou três lutas até disputar o cinturão eu vou fazer. Isso não cabe a mim, claro que é um sonho meu, e acho que de todo lutador, disputar o cinturão e ganhar, se sagrar campeão, então é um sonho meu, e quero muito poder levar esse cinturão para o meu estado, ser a primeira mulher amazonense detentora de um cinturão do UFC e estamos lutando muito para isso e se minha equipe achar que estou preparada e a oportunidade surgir, com certeza eu vou estar pronta”, garantiu a lutadora amazonense, que já fez história no MMA do estado e pretende alçar voos ainda maiores.

publicidade
publicidade
Aos 22 anos, jogador de futsal amazonense conquista título na Suíça
Atleta amazonense de MMA morre após sofrer parada cardíaca durante luta
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.