Sábado, 24 de Agosto de 2019
SÉRIE D

Manaus visita o Brusque pela 1ª partida da final do Brasileirão Série D

Na 'primeira batalha', o Gavião do Norte precisa segurar o ímpeto de um time com 100% de aproveitamento em casa



WhatsApp_Image_2019-08-09_at_20.49.20_9D3A8CFA-89BA-47B0-B5E4-D37467D951A3.jpeg Foto: Denir Simplício
10/08/2019 às 19:12

Hoje, o Manaus enfrenta o Brusque pelo primeiro jogo da final do Brasileiro da Série D. Às 15h (horário de Manaus), no estádio Augusto Bauer, em Brusque, o Gavião do Norte viverá um momento histórico, disputando uma final nacional pela primeira vez. Para o futebol amazonense, será a segunda vez que um clube disputa uma final das principais divisões do Campeonato Brasileiro. O América, ainda em 2010, também chegou à decisão da Série D.

Pela frente, o time do técnico Welington Fajardo terá o ‘Bruscão’ - apelido do  Brusque -, clube tradicional do estado de Santa Catarina e que possui 100% de aproveitamento atuando em seus domínios. Além disso, na fase eliminatória, jogando no estádio Augusto Bauer, os catarinenses ainda não tomaram nenhum gol sequer e venceram todos os jogos por, pelo menos, dois gols de diferença. Números que auxiliaram a equipe na construção da segunda melhor campanha do campeonato, atrás apenas do Manaus.

Paredão atento

A seu favor, o Gavião do Norte terá um arqueiro confiável. Jonathan, goleiro titular do Manaus durante toda a campanha, acredita no trabalho que vem sendo feito. “Temos que manter o que estamos fazendo durante o campeonato, uma postura firme e forte. Sabemos que vai ser um confronto difícil, contra uma equipe que tem 100% de aproveitamento dentro de casa. É uma final, jogo que se decide nos detalhes. Precisamos estar concentrados”, afirmou o camisa 1.

Tanta responsabilidade e destaque têm se refletindo em campo. Nas últimas fases, contra Caxias e Jacuipense-BA, Jonathan teve importantes intervenções. “Não só nessa fase decisiva, mas desde o início venho trabalhando focado nos nossos objetivos. Penso que é desse nível para mais”, comentou o goleiro, que é um dos amazonenses do elenco. Com 27 anos, no futebol do Estado, além de Manaus, Jonathan já jogou por Nacional, Iranduba, São Raimundo e Operário.

Para ele, que nasceu em Alvarães, interior do Amazonas, a disputa pelo título tem um gosto especial por ser ‘cria’ do futebol amazonense. “Poder ascender à Série C com uma equipe amazonense em um campeonato nacional já foi muito especial. Agora, essa disputa do título vai ser muito importante para o decorrer da minha carreira e para todo o futebol amazonense. Hoje nós podemos sonhar com um futebol de alto nível”, destacou o arqueiro do Gavião.

Apoio da torcida

Com boa média de público na reta final do Brasileiro Série D, o Manaus viu 44 mil torcedores apoiarem a equipe no jogo do acesso, contra o Caxias. Para o segundo jogo da final, que acontece no próximo domingo (18), a expectativa é de grande público mais uma vez. Os ingressos começam a ser vendidos amanhã (19), em diversos pontos da cidade, no preço de R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia).

Para Jonathan, o apoio foi primordial para que a equipe do Manaus alcançasse seus objetivos. “Se não fossem aquelas 44 mil pessoas, acho que hoje não estaríamos na disputa do título, muito menos com o acesso à Série C. A equipe do Caxias era muito carimbada, difícil. O jogo da ida foi a prova, onde não conseguimos criar muito. A torcida fez a diferença no jogo da volta, assim como as 20 mil que compareceram à semifinal (contra a Jacuipense)”, exaltou Jonathan.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News ac1 c11005fb a54c 4884 8608 3c793bab9e30
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.