Publicidade
Esportes
DESPEDIDA

Primeiro treinador de José Aldo faz sua última luta no MMA; filho disputa no mesmo evento

Márcio Pontes fará sua última luta no dia 30 deste mês no Mr. Cage. Mas, terá que se dividir. Seu filho, Marcelo Pontes, vai subir ao octógono no mesmo evento 11/12/2017 às 15:16
Show luta 123
Márcio e Marcelo vem treinando juntos para o Mr. Cage que acontece no fim do mês, no Jevian Festas, localizado no Vieralves. Foto: Winnetou Almeida
Dayson Valente Manaus (AM)

Imagine a cena: um pai assiste a luta do filho como treinador e minutos depois, os papéis se invertem. Será a vez do filho acompanhar o pai dentro de um octógono de MMA.

Este é o enredo que Márcio Pontes, um dos mais renomados treinadores de MMA e faixa preta do Estado, terá que viver no final do ano. Ele terá a missão de “se dividir” no card principal do Mr. Cage 32, um dos maiores eventos de MMA da região, com a sua cria Marcelo Pontes.

O mestre, conhecido por lapidar grandes lutadores como José Aldo e Dileno Lopes, fará sua luta de despedida contra Jackson Brandão. Enquanto seu filho Marcelo enfrenta Ewerton Sam na luta que abre o evento, que acontece no dia 30 de dezembro, às 20h, no Jevian Festas, localizado na rua Javari, bairro Vieiralves, Zona Centro-Sul de Manaus.

Apesar de sua larga experiência de 20 anos nas artes marciais, Márcio confessa que não sabe como irá reagir quando Marcelo tiver em confronto.

“Sinceramente, eu não qual vai ser a sensação. Porque é muito complicado você estar ali sendo pai e ‘corner’ do filho e ainda vou dividir o card com ele. Mexe muito com o psicológico, mas estou confiante que vamos fazer ótimas lutas e vai dar tudo certo”, conta o treinador.

Com apenas duas vitórias em duas lutas como profissional, Márcio conta que já tinha decidido em não subir mais ao octógono. Mas, um convite do Samir Nadaf, organizador do Mr. Cage, o fez mudar de ideia.

“Costumo dizer que eu amo jiu-jitsu e sou apaixonado por MMA. Eu vivo isso todos os dias durante os treinos, observando meus alunos. Quando Nadaf me propôs fechar o calendário, me aguçou a vontade de lutar mais uma vez e achei propício a oportunidade. Será a última mesmo”, comenta o mestre da Academia MPJJ, que fica no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste da capital.

Sobre o adversário, Pontes afirma que conhece as habilidades de Jackson Brandão e garante que está focado nos treinos para conquistar mais uma vitória no seu cartel. “É um atleta bom, tenho uma boa afinidade, é experiente também, inclusive já lutei jiu-jitsu com ele. Tenho certeza que será uma boa luta. Estou há dois meses treinando tranquilo porque eu sei das minhas limitações e tenho que respeitá-las”, espera o treinador de 41 anos.

Tal pai, tal filho

Marcelo já tem a noção do peso que o sobrenome Pontes representa no MMA local. Com apenas 19 anos, ele jamais imaginava que iria poder ter a chance de subir no octógono do Mr. Cage junto com o seu pai.

“Fiquei muito feliz com o convite. Eu quero continuar o trabalho do meu pai e carregar essa responsabilidade daqui para frente. É um momento único e não quero fazer feio”, comenta Marcelo. Desde os dois anos no jiu-jitsu, o pupilo de Márcio afirma que a preparação é forte para o embate contra Ewerton Sam.

“É um atleta duro, experiente, mestre em muai thay e bem conhecido aqui. Mas estou treinando firme e forte para este confronto muito especial para mim”, conta o faixa roxa, que além de lutador, ainda cursa o 2º período da faculdade de Direito em uma faculdade particular na cidade.

Em busca da terceira vitória

Márcio Pontes acumula dois confrontos em toda a sua carreira. Em 2007, na sua primeira luta profissional, ele venceu Hélio Parintins por pontos pelo Amazon Combat e em 2016, pelo Mr. Cage 22, superou Paulinho Oliveira por nocaute técnico.

Publicidade
Publicidade