Publicidade
Esportes
Craque

Princesa aposta na paciência e posse de bola para jogo de ida contra o Remo

A partida contra o Leão Azul acontece nesta segunda-feira (9), a partir das 20h30, no estádio da Colina; Principais nomes do Tubarão, Edinho Canutama e Leo Paraíba são dúvidas para a partida 09/03/2015 às 13:39
Show 1
Treinador quer bola no chão e muita tranquilidade contra o Remo
Felipe de Paula Manaus (AM)

O Princesa do Solimões entra em campo hoje contra o Remo-PA, às 20h30, no Estádio Ismael Benigno, a Colina, na Zona Oeste de Manaus, para o primeiro dos dois duelos de 90 minutos que decidirão uma das vagas nas semifinais da Copa Verde 2015, competição que garante ao vencedor uma vaga na Copa Sul-Americana, jamais disputada por um clube amazonense.

O Princesa tem apenas duas dúvidas para a partida, porém dois nomes que vem sendo esseciais aos bons resultados do Tubarão até agora na temporada: Edinho Canutama, com dores no tornozelo, e Leo Paraíba, que sentiu a perna esquerda no treino de bola parada deste sábado (7). A comissão deve esperar pelos jogadores até o último momento possível para o jogo de hoje.

No entanto, as opção de troca para o setor são Sandro Goiano e Carlinhos. O primeiro já havia sido titular em jogos do Princesa neste ano, e o segundo, que já jogou no Vasco em 2003, atuava no Santa Cruz da Paraíba e, segundo o técnico Zé Marco, tem características semelhantes a de Edinho, ou seja, boa movimentação, habilidade e rapidez.

O Remo, por sua vez, vem desfalcado de um de seus principais jogadores, o jovem atacante Rony, 18, que já tem dois gols na competição. Com isso, o técnico, o Zé Teodoro pode adiantar o meia-atacante Bismarck, a fim de fazer dupla com Flávio Caça-rato, jogando num 4-3-1-2, com três volantes e um meia, o talentoso Eduardo Ramos, camisa 10 do elenco remista.

Revelação das categorias de base do clube paraense já tem dois gols na Copa Verde, Roni está sob a responsabilidade do ao Departamento Médico do Leão Azul e está fora da partida. Outra possibilidade é o treinador substituir o atacante pelo reserva imediato Rafael Paty. O treinador remista, no entanto, pode variar o esquema no meio da partida, trazendo um volante para apoiar as alas e liberar mais os laterais.

Desconfiado

Por outro lado, o treinador do Princesa não credita 100% por cento de confiança na informação da ausência do atacante remista. De acordo com Zé Marco, despistar com boatos ou informações imprecisas é uma tática comum no futebol, da qual ele conta já ter sido vítima
anteriormente. “Isso pode ser uma isca. Existe isso no futebol. Divulgar que não vem para surpreender. É um jogador que tem feito a diferença (Roni). Eu já sofri isso em um Campeonato Brasileiro. Estamos nos preparando para que ele venha a jogar também”, disse o treinador.

'Quanto mais difícil melhor'

Autor do gol que iniciou a reação do Princesa do Solimões diante do São Raimundo, pela segunda rodada do Campeonato Amazonense, o defensor Deurick está satisfeito por voltar a marcar depois de quase um ano. O último gol tinha sido em maio de 2014, contra o Santos, pela Copa do Brasil, em derrota por 4 a 2 que eliminou o Princesa da competição.

Entusiasmado com o reencontro com a rede, ainda que em posição defensiva, ele se diz muito motivado para a partida que vê como uma “guerra”, já que o Tubarão enfrenta um dos grandes do Norte, o tradicional Clube do Remo. “Todo jogador gosta de jogar jogo assim, e eu não sou diferente. Jogo contra o Remo, contra time de boa expressão, eu gosto de jogar. Quanto mais difícil pra mim, melhor”, disse o jogador.

Quem também espera por um jogo difícil e, por isso, motivante, é o treinador do Princesa Zé Marco. Ele confirma a motivação da equipe para a partida, mas acredita que o time deve ser comportar de maneira paciente dentro de campo e usar “maturidade e inteligência” para controlar o jogo diante do Remo. “Sabemos que é uma competição de mata-mata, então o ideal é vencer em casa sem tomar gols. Por isso, precisamos valorizar a posse de bola e procurar a proveitar as oportunidades”, disse ele.

Questionado se o jogo do Nacional contra o Paysandu, no último sábado, também pela Copa Verde, poderia tirar lições para o clube de Manacapuru na partida de hoje, Zé Marco não hesitou em responder que não.
“Acho que cada jogo é um jogo. É diferente, o Nacional jogou fora”, disse, enfatizando a necessidade de manter ânimos do Princesa sob controle. “Tem que ter muita paciência. Temos noventa minutos mais os acréscimos. Se for muito afoito, com muita sede ao pote, podemos ser surpreendidos no contra-ataque”, finalizou.

Campanha

O Princesa do Solimões estreou na Copa Verde contra o São raimundo de Roraima. Na partida de ida, em Boa Vista, o Princesa abriu boa vantagem ao vencer o adversário por 2 a 0, mesmo resultado da volta, em Manaus.

A campanha do Remo é exatamente igual. Venceu as partidas de ida e volta diante do Rio Branco–AC e garantiu sua vaga nas quartas-de-final da competição.

Ingressos

Os ingressos para a partida são vendidos na bilheteria da Colina, na Glória, Zona Oeste de Manaus, e em Manacapuru, na Toca do Tubarão, na Av. Fausto Ventura, 344, Centro, ao preço de R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia-entrada, de 8h às 11h e das 13h às 16h.

Publicidade
Publicidade