Domingo, 19 de Maio de 2019
Fechado!

Princesa assina acordo e jogo contra Inter-RS não será no Amazonas

Presidente do Tubarão, Modesto Alexandre confirmou venda do mando de campo contra o time gaúcho pela Copa do Brasil para a empresa do ex-jogador Roni; até sexta-feira (27), CBF deve efetivar mudança do local da partida contra o Colorado



lpokkoko.JPG
Modesto afirmou que com o dinheiro da negociação do mando de campo, garante cinco meses de salário do elenco do Princesa (Foto: Divulgação/Princesa)
24/01/2017 às 11:38

"Não sou louco de perder uma chance dessas!". A frase do presidente do Princesa do Solimões, Modesto Alexandre, apenas confirma o que todos já esperavam. A partida entre o Tubarão do Norte e o Internacional-RS deve mesmo acontecer longe do Amazonas. Na manhã desta terça-feira (24), o mandatário do time de Manacapuru, confirmou que assinou o acordo com a empresa do ex-jogador Roni e aguarda apenas o aval da CBF para a mudança do local do duelo válido pela Copa do Brasil.

"Toda a documentação foi enviada, falta apenas o aval da CBF. Tem dois locais (realização do jogo): Toledo-PR e Arena Pantanal (Cuiabá-MT) me parece", disse Modesto afirmando que o jogo contra o Colorado pode ser realizado em uma das cidades do Sul ou do Centro-Oeste do País.

O presidente do Princesa lamentou ter de negociar a venda da partida para fora do Estado, mas disse que realizar o jogo no Amazonas seria inviável em termos financeiros. "Não tenho como levar esse jogo pra Arena (Amazônia) por conta dos valores. Na Arena os caras não querem botar ambulância, querem botar UTI, que é R$ 2,5 mil. Ainda tem o quadro móvel, mais 3 mil (reais) de merenda. Complicado. A Arena fica inviável pra gente", explicou.

Salários garantidos

Modesto Alexandre ainda avaliou a possibidade de ter prejuízo com um possível tropeço do Princesa contra o Inter-RS atuando dentro da Arena e explicou que, sem a liberação do estádio Gilberto Mestrinho por questões técnicas, achou melhor negociar o mando.

"Te pergunto: Coloco 10 mil pessoas na Arena contra o Internacional? Não coloco! E se o Internacional empatar, ele leva 60% da renda. Então estou fazendo uma coisa com os pés no chão. Se não podemos estar junto da nossa torcida no Gilbertão, por falta de liberação dos Bombeiros, achei melhor assinar", disse o mandatário que, mesmo sem revelar os valores do negócio, confessou que com a venda da partida garantirá ao menos cinco meses de salário da equipe.

"Não posso nem falar em valores, isso está em contrato. Só posso dizer que foi viável ao Princesa. Se eu planejar o que estou pensando, eu tenho cinco meses de salário seguro com o dinheiro que vem da CBF. Se tivéssemos um patrocinador, ok! Tudo bem, mas não aparece um patrocinador. Só estou recebendo água hoje que a empresa tá fornecendo pro clube", disse Modesto concluindo o raciocínio. "Podem me criticar, mas estou certo".

A partida entre Princesa do Solimões e Internacional-RS ainda está marcada no site oficial da CBF para acontecer às 21h45 (horário de Brasília), do dia 15 de fevereiro próximo, na Arena da Amazônia. A mudança junto à entidade deve ocorrer até próxima sexta-feira.  


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.