Publicidade
Esportes
Série D

Princesa enfrenta o Gurupi, em Tocantins, precisando vencer para sonhar com o acesso

Após o empate em Manacapuru, o Princesa do Solimões decide a sobrevivência na Série D em Gurupi. Quem passar pega o Atlético do Acre 16/07/2017 às 02:35
Show princesa
(Foto: Evandro Seixas)
Camila Leonel Manaus (AM)

Mais do que uma decisão de quem passa de fase na Série D do Campeonato Brasileiro, a partida contra o Gurupi, às 17h (de Manaus) deste domingo, no estádio Resendão, no Tocantins, definirá a temporada do Princesa para o resto no ano.

Se passar de fase, o que o Tubarão pode conseguir com uma vitória simples, ou um empate superior a 3 a 3, permanece viva a chance do acesso para a série D. Mas se o time do técnico Alberone perder ou empatar até 2 a 2 - empate em 3 a 3 leva a decisão para os pênaltis - é o fim da temporada para a equipe que não conseguiu garantir calendário para o próximo ano.

O atacante Weverton está ciente de tudo o que está em jogo para o Princesa. “Foi sobre isso que nós falamos durante a semana. Se perder já era, acabou tudo e a gente vai lutar pela classificação e pensar no acesso que está bem aqui”, disse o jogador que está confiante para a partida. “Nós treinamos durante a semana e estou confiante na minha equipe. Temos potencial de chegar lá e conseguir a classificação e vamos buscar a vitória o tempo todo. Estamos tranquilos. Quando um resultado depende só do teu time é tranquilo. A gente vai jogar com inteligência, sabedoria para fazer o gol e se defender”, completou.

Além da vaga para a próxima fase, o jogador não quer perder a briga pela artilharia. No momento ele é o líder em gols na Série D, com oito gols marcados, ele tem um adversário direto na briga, Bruno Morais, que tem seis tentos na competição. “Para mim, é só eliminar a equipe dele para tirar da briga e temos que jogar. Não podemos levar gol e espero marcar contra a equipe deles”.

Desfalques

O desfalque para a partida é o volante Toró, que foi expulso no jogo de ida. No lugar dele, entra Baé e Pastor forma a dupla de zaga com Eric.

O volante contou que o sentimento é de tristeza pelo cartão vermelho, mas garante que ficará na torcida pelo time e, se fora de campo, não poderá ajudar o time, fora dele ajudará em oração junto com a família. “Sim, claro. Estou em espírito de oração aqui, fui até a igreja na sexta para começar logo a levar a oração para Deus e ele abençoar o time com a sua glória”.

Publicidade
Publicidade