Publicidade
Esportes
MARCAÇÃO CERRADA

Procuradoria espanhola pede dois anos de prisão para Neymar por corrupção

Acusação é de corrupção na transferência para o Barcelona em 2013; órgão também pede multa de 10 milhões ao craque do clube espanhol e da seleção brasileira 23/11/2016 às 10:30 - Atualizado em 23/11/2016 às 10:32
Show miguelruiz
Atacante irá enfrentar uma briga judicial para tentar se livrar da cadeia (Foto: Miguel Ruiz / FCB)
Da Agência Brasil, com Agência Ansa

A Procuradoria da Audiência Nacional da Espanha pediu, nesta quarta-feira, a prisão de Neymar por dois anos por acusação de corrupção na sua transferência para o Barcelona, em 2013.  O órgão também quer que Neymar seja multado em 10 milhões de euros, o equivalente a cerca de R$ 36 milhões de reais.

Em seu pedido, o promotor José Perals também solicita cinco anos de reclusão para o ex-presidente do Barca, Sandro Rossel, por corrupção e fraude e uma multa de 8,4 milhões de euros ao clube catalão. No entanto, ele pede a absolvição do atual presidente, Josep Maria Bartomeu.

O processo contra Neymar na Audiência Nacional foi reaberto em outubro, por ordem da quarta seção penal da Corte, após ter sido engavetado pelo juiz José de la Mata. A controvérsia deriva de uma causa aberta em 2015 pelo fundo de investimentos DIS, que tinha 40% dos direitos do craque.

A empresa diz ter sido prejudicada ao não receber nenhuma parte dos 40 milhões de euros pagos pelo Barcelona ao craque e seu pai em 2011 a título de prioridade na contratação. A quantia foi desembolsada sem o conhecimento da junta diretiva do clube, da DIS e do próprio Santos, com quem Neymar tinha contrato em vigor. Coube ao Santos e à DIS apenas porcentagens referentes ao valor oficial da venda, de 17 milhões de euros.

Na acusação feita à Justiça Espanhola, a DIS pede a prisão de Neymar por cinco anos e que ele fique impossibilitado de jogar futebol por esse período, além de cobrar uma indenização entre 159 e  195 milhões de euros. No entanto, a Procuradoria fechou o pedido em dois anos de prisão. 

A assessoria de imprensa de Neymar ainda não se manifestou sobre o pedido de prisão. 

Publicidade
Publicidade