Publicidade
Esportes
Craque

Projeto que prevê tombamento da sede do Rio Negro é votado em caráter de urgência na CMM

Iniciativa é fundamental para preservar memória do clube às vésperas do centenário 05/11/2013 às 11:43
Show 1
Com o tombamento, arquitetura deverá ser preservada
Augusto Costa Manaus, AM

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) deu o primeiro passo para preservar a arquitetura original da sede do Atlético Rio Negro Clube, aprovando nesta segunda (4), em caráter de urgência, o Projeto de Lei nº 435/2013, de autoria do vereador Professor Samuel (PPS), que dispõe sobre o tombamento por interesse histórico e cultural da sede do Galo da Praça da Saudade. Agora, o projeto que poderia levar até seis meses para tramitar pelas oito comissões da Casa, vai voltar à pauta para votação definitiva amanhã, dia 6.

Mas apesar da iniciativa do Parlamento Municipal, mesmo que o Projeto de Lei seja aprovado e sancionado pelo prefeito Artur Neto (PSDB) que é rionegrino, não vai salvar o patrimônio do clube “barriga preta” de ir a leilão ou quitar as dívidas que já ultrapassam R$ 3 milhões no ano do centenário.

O vereador Professor Samuel (PPS), que usou a tribuna da Câmara Municipal ontem para convencer os vereadores a aprovar o projeto, disse que reconhece a importância da Educação, Transporte Coletivo e da construção de creches na cidade, mas ressaltou que a preservação da história de um dos clubes mais tradicionais de Manaus, que completará 100 anos no próximo dia 13 de novembro, também não pode ser esquecida pelos conterrâneos.

“Acredito que o prefeito Artur Neto, que é rionegrino, vai abraçar essa causa, uma vez que se trata da preservação da história da nossa cidade. Ali na sede do Rio Negro tivemos ao longo dos anos eventos memoráveis, como os bailes de debutantes e , as festas de Carnaval. O Palácio dos Espelhos, como é conhecida a sede do Rio Negro, tem um estilo de arquitetura dórica (grega) e é o único clube de Manaus que preservou suas tradições”, afirmou o vere-ador.

Após a votação que recebeu apoios dos 41 vereadores presentes, o vereador Professor Samuel, mais aliviado, falou da importância da aprovação do projeto na Casa.

“Mesmo com muitas dificuldades, porque haviam muitas matérias para serem votadas, conseguimos aprovar o meu Projeto de Lei, que trata do tombamento da sede do Rio Negro. O nosso projeto vai garantir a integridade arquitetônica da sede tanto na faixada como na parte interna e da sede, que não vai poder modificar nada. Se por ventura, acontecer o leilão ou a venda do prédio, a pessoa que adquirir vai ter que manter esse patrimônio intocável inclusive com o nome Atlético Rio Negro Clube”, disparou o vereador.

Amenizando a crise
O parlamentar admitiu que a medida é paliativa, ou seja, não vai resolver todos os “problemas do Galo imediatamente, mas deve alegrar os torcedores com a preservação da sede do clube que já conquistou 18 títulos de campeão amazonense, entre eles um tetracampeonato de 1987 a 1990, além de conquistas em várias modalidades esportivas.

“É lógico que o projeto não retira as dívidas que foram adquiridas, mas garante a integridade da sede do clube e essa medida vai trazer uma felicidade muito grande para todos os rionegrinos e até nacionalinos. Rio Negro e Nacional se completam e ambos têm que ser grandes para melhoria do futebol do Amazonas. Não é a toa que temos o clássico Rio-Nal, responsável por uma das maiores rivalidades do Norte do Brasil”, destacou o vereador.

Até o fechamento desta edição o CRAQUE tentou entrar em contato com o presidente do Rio Negro, Thales Verçosa, na sede do clube e também pelo celular, para comentar o caso, mas não foi atendido.

Vereadores aprovam proposta
A aprovação em caráter de urgência do Projeto de Lei que dispõe sobre o tombamento por interesse histórico e cultural da sede do Rio Negro mobilizou a maioria dos vereadores que apoiam a iniciativa. O vereador Edinailson Rozenha (PSDB). que também é presidente do Fast Clube, disse que apoia o projeto do colega parlamentar.

“O Rio Negro, além de ser um time que tem uma grande torcida, a sede do clube é um patrimônio histórico da cidade de Manaus. Se ele for a leilão e a pessoa que adquirir quiser mexer no prédio, vai mexer. Então o tombamento vai garantir a integridade física da sede, que é uma obra clássica muito importante para a cidade. A proposta do vereador Samuel é válida para preservar esse prédio belíssimo”, afirmou Rozenha.

Já a vereadora Socorro Sampaio (PP), que confessou ter uma simpatia pelo Nacional, relembrou a importância histórica e social da sede do Rio Negro.

“O Atlético Rio Negro clube é um patrimônio nosso antigo. Relembro a história e as festas tradicionais desse clube que foram frequentados pelos meus avós e pelos meus pais. Temos que permitir que nossos filhos e netos possam conhecer esse prédio arquitetônico dórico, que é um dos mais belos patrimônios da nossa cidade. Além do time do Rio Negro, que é um dos maiores do Norte do Brasil”, destacou Sampaio.

Já para o vereador Luís Mitoso (PSD), que é presidente da equipe “caçula” do futebol profissional do Amazonas, o Manaus F. C., atual campeão da Série B do Campeonato Amazonense, a medida é importante para manter a história de um clube centenário. “Nessa hora não existem cores verde, azul ou preta dos clubes amazonenses, mas a importância de preservar um dos maiores patrimônios culturais da nossa história” avaliou Mitoso.

Publicidade
Publicidade