Quarta-feira, 22 de Maio de 2019
NOVIDADE

Promessas? Tenistas amazonenses mostram que são realidade e conquistam resultados

Nova geração do tênis amazonense têm mostrado seu talento e dedicação nas competições, trazendo medalhas e troféus até em competições internacionais



Tenistas_0A44D4A0-347C-4BD5-A76C-E23904F31D7C.jpg
Fotos: Sandro Pereira/A Crítica
24/03/2019 às 19:40

O tênis amazonense teve nomes de destaque no passado, como Júlia Magalhães e Pedro Henrique de Paula, e agora a nova geração do tênis promete dar muito orgulho para o estado no futuro. Na verdade, os novos tenistas do Amazonas já estão fazendo bonito em competições internacionais. Beatriz Rodrigues conquistou a prata no Brazil Juniors Cup, em Porto Alegre, mês passado, e Luis Felipe, conhecido como Guguinha, foi campeão do torneio Lake Cane St. Patrick, neste mês, na Flórida, Estados Unidos. Agora, os pequenos atletas sonham ser grandes tenistas profissionais, e dedicam-se de corpo e alma para isso.

Apesar de terem apenas nove anos, Beatriz, a Bia, e Luis Felipe, o Guguinha, já conquistaram resultados respeitáveis esporte. “Eles conseguiram resultados muito difíceis para qualquer jovem tenista do Brasil conseguir”, ressalta o técnico dos dois, Agnaldo Nascimento.

Para ele, o Amazonas ressurge no cenário do tênis com os pequenos tenistas. “Para nós amazonenses é difícil ganhar um torneio nacional, e mais difícil ainda, um internacional, porque o tênis não é difundido no Amazonas e também é difícil pela distância geográfica dos locais onde acontecem as competições, mas temos feito um trabalho árduo aqui, toda a equipe, com três horas de treinos, de segunda a sábado. Toda a equipe está de parabéns, pois se empenha para conseguir os resultados”, afirma Agnaldo, que trabalha há 28 anos como técnico de tênis, e também foi jogador.

Sonhos grandes

Bia e Guguinha iniciaram no esporte aos cinco anos, motivados pelos pais e, no ano passado, começaram a se dedicar ao esporte de forma competitiva. Guguinha começou a ir para Torneio Norte-Nordeste, e acabou sendo considerado o melhor atleta (simples/dupla) da categoria 9-10 anos. A partir daí, ele partiu para competições do Sul/Sudeste e também para as competições internacionais, por que não? Este ano, ele foi campeão da primeira etapa do Campeonato Paulista, por duplas, e foi campeão simples do Torneio Lane Kane St. Patrick, em Orlando, competindo com atletas mais velhos e maiores que ele. “Fico muito feliz com tudo isso em pouco tempo, não esperava. Nos treinos tento me superar, e acabo chegando confiante. Nos Estados Unidos, eu estava me sentindo muito nervoso, mas fiz bonito na quadra, isso que importa”, disse ele.

Agora, ele mira mais alto. “Quero um dia participar do Roland Garros”, afirma o garoto que é fã do ex-tenista Guga, tricampeão da competição. “Eu assisti a uma das finais em que ele ganhou, ele me inspira, e é legal ter o apelido de Guguinha”, disse o pequeno atleta. 2019 também já está delineado nas metas do tenista. “Para este ano, quero ganhar o Campeonato Brasileiro e a Copa Guga”, afirmou.

Bia começou no tênis despretensiosamente, mas foi fazer treinamentos na Argentina, e voltou da terra do tango motivada. “Lá, ela viu outras meninas jogando forte, bonito, e isso despertou a vontade dela crescer no esporte, então, um ano e meio atrás, ela começou a treinar forte e a ganhar campeonatos”, conta a mãe de Bia, Daniele Nahmias.

Após conquistar a prata no Brasil Juniors Cup, Bia conta que mudou de postura. “Estou bem mais confiante. Antes, quando entrava em quadra, sempre achava que iria perder, mas, agora minha vida mudou”, ressaltou ela, que se sentiu menosprezada pelas adversárias no torneio.

“Quando a gente viaja, acham que nós somos os piores tenistas por sermos de Manaus, e acabei surpreendendo, e foi uma sensação muito boa chegar à final, e ficar com o segundo lugar, não esperava”, conclui. Bia admira as tenista Naomi Osaka e Serena Williams e quer ser como elas. “Quero ser profissional”, conclui.

A equipe vai para um clube mais moderno, e  técnico visa projeto social para revelar talentos.

A Equipe do Instituto Agnaldo Nascimento faz seus treinos no Círculo Militar de Manaus, Zona Oeste, mas vai passar a treinar, em breve, na Top Tênis Center (antiga Academia de Tênis), que contará com quadras de qualidade e estrutura para preparação física e para descanso dos atletas.

“Tudo vai ser voltado para os atletas terem conforto, e espero fazer projetos sociais para levar para lá, para conseguirmos gerar mais talentos. Temos carência de atletas, principalmente no juvenil; não temos atletas de outras academias para disputar contra a nossa”, afirma Agnaldo. O motivo é que faltam espaços públicos. “Temos deficiência de quadras públicas para pessoas que realmente não têm condições de pagar mensalidades de clubes e academias”, disse o treinador.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.