Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019
NATAÇÃO

'Quarteto Fantástico' das piscinas do AM é tetracampeão e impressiona

Após conquistar quarto Norte e Nordeste na categoria Mirim I, quarteto de amazonenses mira maiores objetivos



quarteto_piscinas_33F3C1DC-8E0D-41D0-AC38-D9CB4692212A.jpg Foto: Winnetou Almeida
06/10/2019 às 07:00

Não importa a idade, o talento pode aparecer para qualquer um. E acostumado a revelar atletas do mundo da luta, o Amazonas pode colher os frutos de um ‘Quarteto Fantástico’ da natação no futuro. Mesmo vivendo em um Estado que não é polo da modalidade, Adriele Marcela, Gabriel Castro, Marcos Rafael e Angelynne Rocha se destacam e acumulam tempos impressionantes nas piscinas.

Juntos, defendendo as cores do Instituto Pedro Lucas e disputando a categoria Mirim I - destinada aos atletas de 9 anos de idade -, os quatro conquistaram o tetracampeonato do Norte e Nordeste no final do mês de setembro, desbancando equipes tradicionais - e numerosas - de outras regiões do Brasil. Feitos que impressionaram os pais dos atletas, que estiveram presentes ao desafio em território adversário.



“Eles fizeram tempos astronômicos para a idade deles. Com apenas 9 anos, eles fazem tempos de garotos de 12, 13 anos. Isso não se vê em lugar nenhum. E lá no Norte e Nordeste eles já eram reconhecidos por isso. Todos reconheceram a qualidade deles. Enfrentamos equipes com 100 atletas, e nós apenas com quatro”, comentou Miguel Castro, pai de Gabriel.

Reconhecimento

E a admiração não vem só dos pais. As conquistas construíram uma fama que faz o quarteto ser reconhecido por onde passa. Mesmo competindo fora de casa, Marcela, Gabriel, Marcos e Angelynne já são ‘tietados’ nas competições. Afinal, não é todo dia que apenas quatro nadadores superam equipes com cerca de 100 atletas, e nadando em tempos inéditos.

“Quando os meninos chegaram em Natal, já sendo tricampeões do Norte e Nordeste, todos apontavam para eles, já sabendo do resultado que eles haviam conquistado. E ser respeitado no Nordeste é muito legal. Eles são um polo da natação e sempre revelam atletas de ponta”, contou Adinilson Coelho, pai de Marcela, que exalta o quarteto. “A melhor geração é essa. E falo pelos tempos que eles fizeram”, completou.

Em busca de apoio

A história lembra o filme ‘300’. Apenas quatro pequenos ‘guerreiros’ contra equipes numerosas de regiões tradicionais da natação. Tudo isso somado à diferença de estrutura entre os clubes. No Norte e Nordeste, o quarteto do Instituto Pedro Lucas atropelou equipes como a tradicional AABB e Flamengo, que sempre investem em esportes olímpicos. Diferenças que os próprios pais tentam igualar com dinheiro do bolso. 

“Estamos conseguindo ser mais fortes do que o Nordeste todo. E mesmo sem a estrutura que eles normalmente têm, com nutricionista, fisioterapeuta e tudo mais. Nós mesmos, pais, que tentamos dar todo o preparo aos pequenos. A própria piscina em que eles treinam, aqui em Manaus, é alugada durante determinado horário”, revelou Adinilson Coelho.

News leonardo 9028af08 26fb 4271 b322 4409cded8370
Repórter do Craque
Jornalista em formação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e repórter do caderno de esportes Craque, de A Crítica. Manauara fã da informação e que procura aproximar o leitor de histórias – do futebol ao badminton.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.