Publicidade
Esportes
Craque

Ranking do Sinaenco que considera a melhor preparação para a Copa de 2014 detona Manaus

O ranking foi divulgado, nessa quarta-feira (9), pelo Portal 2014 e o SindicatoNacional de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), considerando estádios,ampliação dos aeroportos e mobilidade urbana (monotrilho) 10/10/2013 às 16:24
Show 1
Arena da Amazônia É a maior obra da Copa em Manaus
Paulo Ricardo Oliveira ---

Manaus ficou na décima segunda posição entre as 12 cidades-sedes no ranking que considera a melhor preparação para a Copa do Mundo de 2014. O ranking foi divulgado, nessa quarta-feira (9), pelo Portal 2014 e o Sindicato Nacional de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), considerando estádios, ampliação dos aeroportos e mobilidade urbana (monotrilho).

No quesito Arena da Amazônia, a capital amazonense ganhou nota 2; para o monotrilho, que foi tirado da matriz de responsabilidade da Copa, a nota foi 0. Quanto à obra de ampliação do aeroporto, a nota foi 4. No total, a única subsede do Mundial do Norte do País ficou com nota 6, atrás de Cuiabá (MT), Brasília (DF) e outras.

O coordenador-geral do UGP Copa em Manaus, Miguel Capobiango Neto, questiona o ranking, dizendo que os critérios usados são, no mínimo, discutíveis. “O ranking leva em conta tão e somente o andamento e o prazo da execução da obra da Arena de Amazônia e só faz gerar uma notícia negativa para a cidade”, argumentou ele.

Capobiango avalia que as cidades que iniciaram primeiro as obras de Arena foram prejudicadas no ranking, que considera somente o andamento da execução da obra em comparação ao dia em que ela começou a ser construída.

“Eles pegaram o percentual de conclusão das obras e dividiram pelos meses em que ela está sendo construída. Não creio que esse seja um indicador relevante. Ficamos prejudicados por conta do financiamento do BNDES, que só foi liberado em agosto do ano passado. Até então a Arena, que vinha sendo construída somente com dinheiro do governo do Estado, estava com 40% de conclusão. A partir da liberação do financiamento do BNDES, a obra foi acelerada”, diz.

Sobre o monotrilho, o coordenador da UGP Copa de Manaus não disse ser problema o projeto ter sido tirado da matriz de responsabilidade de obras da Copa. “O monotrilho é um legado da Copa. Esse projeto não fazia parte das obras da Arena, que fica muito bem localizada no eixo Norte-Sul da cidade. Então não teremos dificuldade quanto a mobilidade”.

Projetos listados em 2010

As notas levaram em consideração o andamento dos projetos listados na primeira Matriz de Responsabilidades, divulgada em janeiro de 2010 pelo Ministério do Esporte. Três setores foram avaliados (estádios, mobilidade urbana e aeroportos), com notas de 0 a 5 para cada um.

Manaus teve a pior avaliação do País, seguida por Brasília (6 pontos), Cuiabá (7), Porto Alegre (7), Curitiba (8), Salvador (8), Recife (8), São Paulo (9), Rio de Janeiro (10), Natal (10), Fortaleza (11) e Belo Horizonte (12).

O critério de desempate adotado foi a nota concedida à construção ou reforma dos estádios. Nesse quesito, somente o Mineirão e o Castelão tiveram nota máxima, pois os projetos foram iniciados e entregues no prazo previsto. São Paulo e Natal, estádios ainda em obras e com o maior índice de conclusão, ganharam nota 4. A pior avaliação se deu em Brasília, Cuiabá, Curitiba, Manaus e Salvador. As sedes tiveram nota 2 na preparação de suas arenas.

Publicidade
Publicidade