Publicidade
Esportes
Craque

Reforço de peso: Iranduba terá jogadoras da Seleção Brasileira na 2ª fase do Brasileirão

O draft é feito na segunda fase do Campeonato Brasileiro Feminino e, pelo sorteio, três ou quatro jogadoras podem desembarcar no Hulk 17/02/2016 às 10:00
Show 1
Meninas do Iranduba voltam aos treinos na quinta-feira (18)
Camila Leonel Manaus (AM)

Classificado para a segunda fase do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, o Iranduba aguarda reforços de peso para compor o time. É que segundo o regulamento, os oito times classificados para essa fase podem draftar jogadoras da seleção brasileira permanente e, dependendo do sorteio, duas ou três jogadoras poderão vestir a camisa do Hulk.

O treinador Olavo Dantas explicou que a expectativa é oferecer condições de trabalho para que as jogadoras possam fazer boas atuações do time.

“A nossa expectativa, independente de quem vem, é que elas possam nos ajudar e que a gente possa oferecer condições de trabalho para elas. É lógico que a gente aguarda com grande expectativa porque são jogadoras da Seleção Brasileira e elas estão próximas de disputar as Olímpiadas”, explicou o treinador.

Quanto à jogadoras que podem vir, Olavo preferiu não mencionar preferências.

“Eu prefiro não comentar porque qualquer comentário fica parecendo que as outras atletas que vão chegar não seja da nossa preferência. As jogadoras que estão vindo da seleção é uma forma delas despontarem e aparecerem para o Vadão e para a comissão técnica, que estarão observando “, explicou.

A volante do Iranduba, Djeni Becker,  que já jogou na seleção brasileira, explicou a importância do draft para uma atleta que atua com a camisa canarinho.

“A vantagem do draft para a jogadora que vem, no meu ver, tem o benefício de ganhar ritmo de jogo. Afinal, estando na permanente, por mais que treinem bastante, façam amistosos, não é mesma coisa de estar jogando jogos oficiais toda semana, então isso dá um ritmo melhor à atleta”. explicou.

Mas segundo Djeni, assim como o draft pode ajudar uma equipe, ele pode trazer certas dificuldades. O resultado depende de como o clube irá conduzir isso.

“Com o draft, as equipes que têm um número inferior de atletas, ou tem uma carência em alguma posição, podem fazer a escolha em cima disso e assim fechar o time com as meninas da seleção. O único problema são para os times que já estão redondinho, trazer alguém no meio da competição e pôr para jogar. Por isso, cabe ao treinador das equipes colocar quem está bem em determinado momento, independente se seja de seleção ou não”, opinou.

Como funciona:

Ao término da primeira fase as oito equipes classificadas irão participar de um sistema de seleção onde cada uma das oito equipes terá o direito de escolher atletas da Seleção Brasileira Feminina permanente para reforçar o seu elenco da segunda fase do campeonato em diante.

A quantidade de jogadoras variam de acordo com sorteio: quatro equipes escolhem três e quatro equipes escolhem quatro.A segunda fase começa no dia 23 de março. Enquanto isso, o treinador Olavo Dantas disse que a equipe segue treinando.

“A gente retorna na quinta-feira. É bem capaz de ter um amistoso, mas ainda falta confirmar isso”, explicou o treinador.



Publicidade
Publicidade