Publicidade
Esportes
Léo passou, o Leão não!

Rejeitado pelo Nacional, Léo Paraíba avançou na Série D com o Itabaiana

Atacante, que se destacou com a camisa do Naça em 2014, comentou mais uma eliminação do ex-clube e aproveitou para falar também do Princesa - onde esteve ano passado - e da nova empreitada no Tricolor da Serra 20/07/2016 às 11:09 - Atualizado em 20/07/2016 às 11:14
Show aeea39a5 47c7 4306 ab5e 61e99c2fad4f
Paraíba foi campeão amazonense com a camisa do Leão no Barezão de 2014 e quase retorna ao clube em 2015 (Foto: Arquivo pessoal)
Denir Simplício Manaus (AM)

Ídolo da torcida do Nacional na conquista épica do Barezão de 2014, Léo Paraíba hoje é jogador do Itabaiana, de Sergipe. O atacante, que ao contrário do Naça, vai disputar a segunda fase do Brasileirão da Série D, marcou um dos gols da vitória que carimbou a classificação do Tricolor da Serra na última rodada do Grupo A8. O jogador comentou a eliminação do ex-clube ocorrida no domingo passado.   

“Fiquei triste porque a gente sabe que o Nacional merecia estar num patamar maior e até agora as coisas não estão dando certo. Mas espero que eles voltem logo porque o Nacional merece. Não por algumas pessoas que estão lá dentro, mas sim pela torcida, que demonstra ser verdadeira. Joguei lá e vi que a torcida é verdadeira, são pessoas boas, que cobram na hora certa. Não sei o que está acontecendo no Nacional... um time desses, que paga em dia, com a folha que tem, não poderia estar nessa situação. Então fiquei triste porque estava torcendo por eles (Nacional), pra que eles pudesses se classificar, mas não aconteceu, infelizmente”, pontuou Paraíba.

Sem mágoa

Questionado se tinha ficado alguma rusga com o Naça sobre o imbróglio envolvendo sua rescisão com o Remo para assinar com o Nacional – o jogador deixou o clube paraense ao receber proposta do Nacional, mas aqui chegando foi avisado que o clube desistira do negócio -, Léo Paraíba fez questão de dizer que não. Mas afirmou estar magoado com o ex-diretor do Leão, Gilson Mota, responsável pelo negócio a época.

“Magoado com o Nacional, não, magoado com uma pessoa que fez isso. Porque eu tinha um ano de contrato (com o Remo). Tenho dois filhos e o que o cara (Gilson Mota) fez comigo não se faz. Fiquei muito triste mesmo, pensei até em parar de jogar futebol porque achei que foi uma tremenda sacanagem”, disse. Na época, em entrevista ao CRAQUE, Gilson negou que tivesse feito proposta ao jogador. “Eu conversei com o jogador, sim. Perguntei como ele estava, como estava no Remo, mas em nenhum momento eu fiz proposta para ele vir para o Nacional”, disse.

Desemprego

Desempregado desde o recuo do Nacional, Léo Paraíba só conseguiu um clube para trabalhar no fim de maio. No Itabaiana, o atacante disse estar se adaptando e já pensa em avanço na nova casa. “Aqui está tudo bem graças a Deus. Estou jogando e estou dando sorte dentro do time. Espero agora passar do primeiro mata-mata”, revelou.

Com passagem pelo Princesa do Solimões, Paraíba elogiou o ex-time e avisou que o Tubarão será páreo duro para os adversários.

“No Princesa têm umas pessoas corretas. Lá tem um grupo que, independente que pague pouco, mas paga em dia. É um grupo bom, tem um treinador muito bom, uma cidade boa, então é um time que vai brigar pra subir”.

Publicidade
Publicidade