Publicidade
Esportes
e-Sports

Representando o Amazonas, atleta de e-Sports busca vaga em mundial de Fifa

Wendell Monteiro disputa neste final de semana o ESWC Fut Series Global em São Paulo. Torneio com 16 competidores vale vaga no mundial de futebol virtual 28/04/2018 às 10:07
Show zcr032801 p01
Brasiliense de nascimento, mas radicado no Amazonas, Wendell Monteiro já faturou mais de 300 títulos em competições presenciais e on-line. Foto: Evandro Seixas
Valter Cardoso Manaus

São mais de 300 títulos entre disputas de torneios presenciais e online, mas a carreira de Wendell Monteiro caminha rumo a um desafio, a disputa do ESWC Fut Series Global, torneio de Fifa, que ocorre neste fim de semana em São Paulo, e contará com 16 atletas, até de fora do país, que brigam por uma vaga no mundial.

“Para mim é uma honra estar participando, levar a bandeira do estado para este nível. Como é uma competição internacional, além de representar o estado, represento o Brasil, para tentar me classificar para o mundial, o que para mim é um sonho. Não só para mim, mas para muitos, é um sonho chegar lá. Não apenas ganhar, mas só de ir já é uma conquista em meio a todas as dificuldades para nós que jogamos profissionalmente temos”, revelou o jogador profissional. 

Além da vaga, um prêmio em dinheiro de 10 mil dólares será compartilhado entre os 3 melhores jogadores. A alta premiação, além de atrair ainda mais jogadores para o cenário, reafirma o crescimento da modalidade dentro do país.De acordo com Wendell, os e-sports seguem uma tendência de crescimento em todo o Brasil.

“O cenário está crescendo, mas ao mesmo tempo para os torneios, para os jogadores ainda não está tanto. Não tem equipes patrocinando como tem lá fora. Os brasileiros que foram para as etapas do mundial falam que nós temos nível, mas não tem estrutura que os caras tem. A diferença ainda é muito grande em relação a isso”, analisou o Pro Player, que explicou que os atletas de ponta de outros países chegam a contar com coach durante os campeonatos, para orientar os jogadores.

Como a seletiva foi feita através de disputas on-line, Wendell teve que mostrar toda a habilidade dos games na vida real para driblar alguns problemas como a própria qualidade da internet na região e garantir seu lugar entre os melhores do país. Wendell revelou que, muitas vezes, os adversários das regiões sul e sudeste levam vantagem pela melhor qualidade do serviço. “Tem jogadores muito bons no Brasil que sofrem com isso. O cara tem qualidade para estar indo para o Mundial, mas sofre”, revelou o jogador que busca garantir garantir mais um título na carreira.
 

Publicidade
Publicidade