Publicidade
Esportes
MATA OU MORRE

Segunda etapa do Barezão 2018 inicia com quatro jogos e muita emoção

Segundo turno do Amazonense começa com rodada cheia em jogos na capital e interior. Destaque para Fast e Rio Negro, que terá transmissão ao vivo pela TV A Critica, neste sábado (3) 03/03/2018 às 08:56
Show pao
Galo tenta recuperação no returno diante do Fast (Foto: Gilson Melo)
Denir Simplício Manaus (AM)

Turno novo, vida nova. A segunda etapa do Amazonense começa neste sábado (3) com rodada cheia e, além da promessa de grandes partidas, é renovada a esperança pelo título do Barezão 2018.

Neste segundo turno, as equipes se enfretam dentro do próprio grupo numa espécie de quadrangular. Assim como foi no turno, o primeiro colocado avança direto pra semifinal do torneio. Segundo e terceiro colocados seguem para as quartas de final da competição, já o lanterna da chave dá adeus à competição e faz contas contra o rebaixamento. Como prevê o regulamento, ao conquistar o primeiro turno o Fast Clube não só se garantiu na final do Barezão como também não corre risco de ser rebaixado na temporada. 

Galo pega o campeão

Com transmissão ao vivo pela TV A Crítica, Fast e Rio Negro se enfrentam às 15h, no estádio Carlos Zamith, na reedição da semifinal do primeiro turno. Na ocasião, o Rolo Compressor, de Paulo Morgado, atropelou o Galo, de Aderbal Lana, por 4 a 1.

“Acho que fizemos um bom jogo contra o Fast. Mas você falar que fez um bom jogo e perder de quatro... mas até um certo momento a equipe se portou muito bem”, comentou Lana revelando que fará mudanças para o jogo deste sábado contra o Tricolor.

"Achei que tenho de fazer uma mudança no gol agora e que pode melhorar. O André (Regly) tem treinado bem, é um jogador rápido e que bate bem na bola e por isso a mudança. O restante da equipe é a mesma. Acredito que ela possa reeditar a boa atuação que fez diante do Princesa, principalmente, e uma boa parte do jogo contra o Fast”, pontuou o treinador dando dica de que pode mudar o setor ofensivo da equipe.

“O garoto Caíque, que vem se apresentando bem, teve uma contusão, segunda, e terça ele não treinou. Voltou, mas não voltou muito bem, um pouquinho sem confiança, mas é um garoto, a gente tem de ter muito cuidado. Provavelmente, deve entrar o Marquinho no lugar dele, mas não tem nada definido ainda”, concluiu.

Rolão quer tudo

Garantido na decisão do Barezão 2018, o Fast Clube nem quer pensar em relaxar no returno. Responsável em levantar a taça do Estadual em 2016, o capitão Roberto Dinamite quer repetir o feito o quanto antes.

“Relaxar? Jamais! Vamos buscar o segundo turno também, com a mesma humildade e foco em nosso objetivo maior que é o título”, enfatizou o camisa 8 do Tricolor apontando a união do elenco como fator preponderante na tentativa de  conquistar também o returno do Campeonato Amazonense.

“Penso que nossa força de equipe é nosso ponto forte, porque no primeiro turno conseguimos um objetivo para o clube (vaga na Copa do Brasil e Brasileirão da Série D de 2019). Agora, no segundo turno, vamos atrás do título porque é isso que dá prestígio a uma equipe vencedora”, destacou o jogador que passou cinco meses em recuperação após grave lesão no tornozelo.

Bacurau recebe o Naça

Lanterna do Grupo A no primeiro turno, o CDC Manicoré encara o Nacional, às 15h30, no Bacurauzão, no que pode ser a última apresentação da equipe de João Carlos Cavalo em casa. Depois do duelo com o Naça, o Bacurau do Madeira tem dois jogos como visitante.

“É um jogo extremamente importante pra nossas pretensões no campeonato. Agora diminuem as possibilidades, são três jogos apenas e a gente tem de fazer de todas as maneiras o nosso dever de casa”, disse João Carlos Cavalo afirmando que a principal meta do clube é se manter na elite do Barezão.

“O nosso pensamento e do CDC Manicoré  é manter a equipe na primeira divisão pra se reestruturar melhor e vir mais competitivo no ano que vem”, enfatizou Cavalo.

No Naça, o técnico Arthur Bernardes teme o calor do clima e da torcida de Manicoré. “Estamos trabalhando numa temperatura muito alta aqui em Manaus, acredito que lá (Manicoré), seja o mesmo. Não conheço o campo, dizem que é um pouco irregular. Mas temos de focar que temos de ir lá e fazer um bom trabalho”, comentou.

Penarol tenta juntar os cascos contra o Princesa

Vivendo momento conturbado após a saída inesperada do treinador Carlos Tozzi, o Penarol visita o Princesa do Solimões, às 20h, no estádio Gilberto Mestrinho, na busca pela recuperação no campeonato.

A derrota na final do turno, nas penalidades, para o Fast deixou sequelas no Leão da Velha Serpa que encara o Tubarão sem o atacante Branco, suspenso. Quem entra na vaga do camisa 9 do Penarol é Marinelson, que prevê dificuldades contra o Princesa.

“Dificuldades vamos ter muitas. O time do Princesa é muito bom. Os jogadores que o Alberone tem são de qualidade. Mas a expectativa é muito boa pra essa partida”, destacou Marinelson, que vestiu a camisa do Tubarão por cinco anos.

Questionado sobe como está o ânimo da equipe após a saída de Carlos Tozzi, o jogador confirmou que o time ficou triste, mas que a derrota nos penais diante do Fast ficou no passado.
“Claro que ficamos tristes por ele ter saído. Todas as vezes que o Tozzi precisou de mim eu joguei bem. Mas agora isso já passou, assim como a perda do título. Vamos pensar no Princesa”, declarou Marinelson.

Para o duelo com o Princesa, quem comanda a equipe interinamente é o preparador de goleiros Luiz Mario do Nascimento. A diretoria do Leão da Velha Serpa ainda não se posicionou quanto ao substiituto de Tozzi.

Tufão tenta vencer a primeira no Barezão

Ainda sem sentir o sabor da vitória na competição, o São Raimundo recebe o Manaus FC, às 16h, no estádio da Colina, com mudanças no setor ofensivo. 

Ídolo do Tufão, o atacante Marinho está de volta à Colina e fará dupla de ataque com Denis Maranhão no duelo com o Gavião.  Questionado se retorna ao clube que o projetou para o futebol baré para salvar a equipe no ano se seu centenário, o Tanque foi enfático. 

“Não me vejo como um Salvador da Pátria. Volto com a missão de ajudar o clube a sair do momento difícil”, declarou o atacante lembrando que ajudou o Mundico em momento similar no Barezão de 2013.

“Estive no São Raimundo em 2013, quando o clube viveu um momento parecido, e pude ajudar com gols que evitaram o rebaixamento naquele ano”, ponderou o jogador falando da parceria com Dênis Maranhão para o duelo de hoje com o Gavião.

“O Denis vive um grande momento e espero poder ajudar ele a continuar com a boa fase. Também espero que ele me ajude a voltar à boa fase que eu vivi ano passado”, concluiu.

No Manaus FC, do efetivado Igor Cearense, a ordem é vencer o returno e garantir caledário para 2019. De volta ao comando do clube quase um ano depois, o ex-auxiliar de Wladimir Araújo quer mostrar trabalho.  

“Estou muito feliz com essa notícia que é a efetivação e espero corresponder à altura, porque grupo a gente tem, time a gente tem, elenco a gente tem forte e determinado, muito unido e agora levar tudo isso para dentro de campo”, disse.

Publicidade
Publicidade