Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
Craque

Rio Negro vence Nacional em amistoso com as ‘feras’ do passado

Ex-jogadores e eternos craques do Nacional e do Rio Negro protagonizaram em campo um amistoso que celebrou o centenário dos dois clubes



1.jpg Eternos craques do Nacional e do Rio Negro protagonizaram um belo amistoso
17/02/2013 às 01:06

O gramado do estádio Roberto Simonsen, no Clube do Trabalhador do Sesi (Zona Leste), abrigou na tarde deste sábado diversas estrelas do futebol amazonense. Em mais de uma hora de jogo, os ex-jogadores e eternos craques do Nacional e do Rio Negro protagonizaram em campo um amistoso que celebrou o centenário dos dois clubes e foi preliminar ao início do Campeonato Amazonense 2013. No final da festa, quem acabou por levar a melhor foi o Barriga Preta, que marcou 3 a 2 em cima do Leão da Vila Municipal.

O Rio Negro começou o jogo bem mais sagaz e com boas oportunidades. Não à toa, logo no primeiro minuto da partida Jason encheu a rede e marcou o primeiro gol, deixando a torcida nacionalina enfurecida, 1 a 0. Mesmo com a garoa que caia sobre o Estádio, o Alvinegro continuou forte e não demorou para a rede balançar novamente. Aos sete minutos, Rildo não desperdiçou e de cara para o gol marcou o segundo para o Galo da Praça da Saudade, 2 a 0.

Aos 16 minutos, Gilmar Popoca relembrou seus tempos de ouro quando atuava pelo Rio Negro e ao pegar a redonda não desperdiçou a falta e marcou 3 a 0 para o Barriga Preta.  Há três anos como treinador do SUB-13 do Flamengo e um dos poucos amazonenses a chegar numa Olimpíada e garantir medalha, como fez em 1984 em Los Angeles ao conquistar prata pela Seleção Brasileira, o ex-jogador era pura felicidade ao marcar o gol e fez questão de dividir a alegria com os amigos que estavam no banco de reserva.


“Tudo que está acontecendo hoje é uma felicidade sem fim. Eu precisava marcar este gol e sabia que isto iria acontecer. Depois dessa vitória pessoal, só tenho que agradecer a torcida, aos meus familiares e a todos que apoiaram para que eu estivesse hoje aqui. Ainda tenho muito gás”, brincou o medalhista olímpico.

Ressurgindo na partida aos 20 minutos, o Naça finalmente conseguiu colocar uma bola para dentro da rede após uma direita de Tojal. Dez minutos depois, Cisco também recebeu a redonda e marcou o segundo para o Leão.

No segundo tempo o placar não teve alteração. Em compensação, foi possível ver o show de bola de Paulo Galvão, que no primeiro tempo havia defendido o Rio Negro e no segundo voltou aos campos para ajudar o Naca.

 “Passei dez anos da minha vida jogando pelo Nacional e dois pelo Rio Negro. Nada mais justo eu poder comemorar com os dois também. Este centenário faz parte da minha história e estou dando o meu melhor. Nem cansado estou. Para mim, tudo está sendo maravilhoso”, comentou o craque no auge dos seus 63 anos pesando 68 kg. “Só engordei dois quilos de 1970 para cá. Ainda estou em ótima forma”, comemora.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.