Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Craque

Roberto Gesta vibra após Manaus ser escolhida como sede dos jogos de futebol nas Olimpíadas 2016

Presidente da Confederação Sul-Americana de Atletismo foi o principal articulador da candidatura manauara diante do Comitê Olímpico Internacional



1.gif Roberto Gesta vai se dedicar mais à pesquisa e produção de conteúdo, além de organizar as novas peças de seu museu internacional
12/02/2015 às 09:37

O amazonense Roberto Gesta, 69, é um craque em Olimpíadas. Esteve em 11 delas, além de três Olimpíadas de Inverno e dois Jogos Mundiais da Juventude. Presidente da Confederação Sul-Americana de Atletismo, ele foi o principal articulador da candidatura manauara para receber os jogos de futebol nas Olimpíadas.

Comemorando a decisão que colocará Manaus no hall das cidades olímpicas, Gesta destacou a importância da vinda do evento de porte mundial para a cidade de Manaus. “Não é só uma honra para Manaus ser escolhida entre as cidades que receberão jogos de futebol dos Jogos Olímpicos. A Amazônia agrega valor às Olimpíadas, portanto a inclusão de Manaus é motivo de orgulho para o próprio movimento olímpico”, diz ele.



Autoridade respeitada olímpica respeitada no mundo inteiro, Gesta conseguiu o apoio de nomes fortes no esporte mundial e do próprio presidente do Comitê Organizador dos Jogos no Brasil, Carlos Arthur Nuzman, que recentemente declarou o apoio a Manaus como sub-sede do torneio, decisão que também dependia da Fifa e que será anunciada hoje pelo comitê, no Rio de Janeiro.

Após a sinalização por parte de Nuzman de que haveria possibilidade de ampliação do número de sedes do torneio de futebol olímpico em uma ou até duas cidades, o dirigente encabeçou a campanha à candidatura da capital amazonense. Em janeiro, por ocasião do congresso da Consudatle, realizado em Manaus, aproveitou para convidar os membros da IAAF, entidade máxima do atletismo mundial, para fazer um tour na Arena da Amazônia, a fim de ganhar o apoio da entidade, que tem grande peso no Comitê Olímpico Internacional (COI), já que o atletismo é o carro-chefe dos Jogos Olímpicos.

Na ocasião, o inglês Sebastian Coe, bicampeão olímpico em provas fundas de atletismo nas Olimpíadas de 1980 (Moscou) e 1984 (los Angeles), o ucraniano Sergei Bubka, maior nome na história do salto com vara, e o presidente da entidade, o senegalês Lamine Diack, manifestaram simpatia à inclusão de Manaus como sub-sede olímpica. Coe, que também é vice-presidente da IAAF, chegou a declarar que concedia o apoio não só a Manaus, mas ao amigo Roberto Gesta.

Tamanho prestígio se deve à contribuição do dirigente no cenário do atletismo e dos esportes olímpicos em geral no País e fora dele. Também presidente da Associação Ibero-Americana de Atletismo e membro do Conselho Executivo da Federação Internacional de Atletismo, ele integrou a delegação brasileira que conquistou o direito de sediar os jogos no País em 2016.

Animado, Gesta acredita que Manaus terá uma grande oportunidade para incentivar mais o desenvolvimento do esporte no estado do Amazonas e realizar eventos que promovam a cultura e a identidade da Amazônia para o mundo. “É um momento de se fazer um planejamento, principalmente na escola, para despertar o interesse dos jovens no esporte a na história dos Jogos Olímpicos. Se nós conseguirmos isso, teremos dado um grande passo. Não adianta começar do alto nível, tem que ter a base”, disse ele.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.