Publicidade
Esportes
CONVOCAÇÃO

Rogério Ceni alfineta Tite por convocação de Rodrigo Caio após fair play

“Talvez o Rodrigo e o Tite sejam pessoas melhores que eu”, afirmou o técnico do São Paulo 23/05/2017 às 09:15 - Atualizado em 23/05/2017 às 09:41
Show aaaaa
Gonçalo Junior - Agência Estado

O técnico Rogério Ceni deixou claro que não gostou do fair play do zagueiro Rodrigo Caio, na semifinal do Campeonato Paulista, e criticou o técnico Tite, que afirmou que a atitude havia pesado na convocação do são-paulino para os próximos amistosos da seleção brasileira, que serão disputados nos dias 9 e 13 de junho.

"Minha posição não é tomada em frente às câmeras, depois de analisar tudo. Ela não é tomada no ar-condicionado. É tomada na hora do jogo. Com relação ao ato do Rodrigo Caio, quando ele falou para mim, quando fez menção ao não cartão, para mim, o Jô empurrou o Rodrigo e podia ser punido", disse o treinador, após a vitória do São Paulo sobre o Avaí por 2 a 0, na noite desta segunda-feira, no Morumbi.

"Talvez o Rodrigo e o Tite sejam pessoas melhores que eu. No dia do jogo, perguntei se ele sabia que o Jô tinha dois cartões. Mas é muito fácil falar de um treinador com oito jogos e oito vitórias na seleção. Se eu fosse treinador da seleção, eu o levaria pelo futebol que joga, não pela atitude de tomar um cartão, porque senão daqui a pouco cada um que acusar cartão tem que se convocado", afirmou o técnico do São Paulo ao programa "Bem, Amigos", do canal SporTV.

Na derrota de 2 a 0 do São Paulo para o Corinthians, Rodrigo Caio avisou o árbitro Luiz Flávio de Oliveira que Jô não havia feito falta sobre o goleiro Renan Ribeiro, evitando que o centroavante recebesse cartão amarelo e fosse suspenso do jogo seguinte entre os dois times. O zagueiro reafirmou a posição.

"Sobre o que aconteceu, faz parte do passado. Não me arrependo do que fiz, o que foi ali foi no momento, fiz algo que foi normal, não pensava que ia dar essa repercussão toda. Faz parte do passado e não deixou mal-estar nenhum. Cada jogador tem uma opinião e a gente tem que ser a favor disso, cada um pensar de uma forma. Bola pra frente, cada um com sua consciência e a minha ficou muito tranquila", afirmou o zagueiro no programa de TV.

Publicidade
Publicidade