Publicidade
Esportes
Craque

Rolo Compressor é líder, e Galo da Praça da Saudade começa na lanterna do Barezão 2015

Fast Clube dá show e assume a ponta, Leões vencem na estreia, Tufão surpreende em Borba e ‘Clássico Cirandeiro’ termina empatado. Acompanhe o pacotão da 1ª rodada do Campeonato Amazonense 27/02/2015 às 22:58
Show 1
O Barezão começou repleto de gols e muita emoção.
Denir Simplício Manaus (AM)

O Barezão 2015 começou com força total e a prova disso é a média de 3,8 gols logo na primeira rodada da competição. Com destaque para as goleadas de Fast Clube e Nacional, sobre Iranduba e Rio Negro, respectivamente, e para a surpreendente virada do São Raimundo pra cima do Naça Borbense. Em cinco jogos tivemos apenas um empate e com muitos gols no clássico de Manacapuru, entre Princesa do Solimões e Operário.

O jogo que fechou a rodada de início do Estadual trouxe para o gramado da Colina o maior clássico do futebol amazonense. Diante de 1.239 pagantes, o Rio-Nal desta quinta-feira (26), foi vencido pelo Leão da Vila Municipal, por 3 a 0, e deixou o Naça na co-liderança da competição ao lado do Fast Clube. O Tricolor de Aço está na ponta pelo critério de gols marcados.

Dez gols na abertura

O campeonato começou com dois jogos emocionantes e repletos de gols no último sábado (21). Foram dez tentos no total e quem se deu melhor foi o Fast Clube. O Rolo Compressor não quis saber do misterioso time do Iranduba e atropelou o rival por 4 a 1. O destaque do triunfo do time comandado por Ney Júnior foi a dupla Michell Parintins e Rosembrick. Ambos “destruíram” o sistema defensivo armado pelo treinador do Hulk, Frederico Braz, e juntos marcaram três gols no jogo.

Depois de esmagar o Iranduba, o Rolo Compressor tem pela frente o Manaus FC. Já o Hulk irandubense pega o Rio Negro, no duelo dos goleados da primeira rodada.


O outro confronto de abertura do Barezão aconteceu longe da capital. O São Raimundo foi até Borba (distante 151 quilômetros de Manaus) para enfrentar o Nacional Borbense e voltou para a Colina com três pontos na bagagem. Depois de sair perdendo por 2 a 0, a equipe treinada por Eduardo Clara surpreendeu o Camaleão e empatou ainda no primeiro tempo, e na etapa final conseguiu a virada e a primeira vitória na competição.


Depois de passar pela difícil missão de vencer o Camaleão fora de casa, o Tufão da Colina retorna oficialmente ao seu alçapão para receber o Princesa do Solimões. O Borbense viaja até Itacoatiara para enfrentar o Penarol, no estádio Floro de Mendonça.

Leão ruge alto na Velha Serpa

No último domingo (22) foi a vez do Penarol, do técnico Marquinhos Piter, estrear no Estadual contra o Manaus FC. O Gavião do Norte trocou de treinador uma semana antes do jogo de abertura do Barezão e viajou até a cidade da Pedra Pintada para pegar o time da casa. Fábio Luiz foi campeão da Série B, com o Operário, e assumiu o Alviverde da capital substituindo Paulão.


O Leão da Velha Serpa, que tem a revelação Júnior Neymar no elenco, não deu moral para o Gavião e venceu por 1 a 0. Com a magra vitória o Penarol se posicionou na quarta colocação na tabela do campeonato e receberá o Borbense na segunda rodada da competição. Já o Gavião do Norte tem a dura missão de encarar o Rolo Compressor, no Zamithão.

Empate no Clássico Cirandeiro no Zamithão

O clássico de Manacapuru (situada a 68 quilômetros da capital) entre Princesa e Operário foi disputado no estádio Carlos Zamith, na Zona Leste de Manaus. Sapão da Terra Preta e Tubarão fizeram uma partida muito pegada e que terminou em igualdade no placar. A equipe de Zé Marco começou bem o duelo e abriu dois gols de vantagem sobre o time de Carlos Tozzi.


Com um show da torcida manacapuruense, que se deslocou em grande número para o estádio, o Operário conseguiu o empate e por pouco não venceu o confronto. Com o resultado, os times da região metropolitana de Manaus ocupam a quinta posição na tábua de classificação do Estadual.

Na sequência da competição o Operário enfrenta o Nacional, na segunda-feira (1º) no estádio da Colina. Enquanto o Princesa vai pegar o São Raimundo diante de sua fanática torcida, no retorno oficial do estádio, que é a casa do Tufão da Colina.

Rio-Nal da disparidade

A partida que encerrou a 1ª rodada do Barezão 2015 trouxe para o gramado da Colina, na última quinta-feira (26), o tão aclamado clássico Rio-Nal. Dentro de campo duas equipes que se diferenciavam pelos valores investidos por suas diretorias, mas que durante boa parte da partida se igualaram no quesito futebol. Enquanto o Nacional investe cerca de R$ 300 mil na folha salarial do elenco, o Rio Negro luta para não ultrapassar os R$ 30 mil por mês com o plantel.


Sob o comando de Sérgio Duarte, o time do Galo da Praça da Saudade é repleto de garotos da base. Do outro lado, a equipe de Sinomar Naves tem um grupo de atletas rodados e, em sua maioria, de fora do Estado. O Leão da Vila Municipal venceu por 3 a 0, mas os meninos do time Barriga Preta atuaram bem e deixaram boa impressão aos torcedores que compareceram ao estádio colinense.

A derrota deixou o Rio Negro na lanterna da competição, enquanto o Naça divide a liderança com o Fast Clube. Na próxima rodada o Galo pega o Iranduba, no próximo domingo (1º), na Colina. Já o Leão recebe o Operário, na segunda-feira (2), no mesmo estádio.            


Publicidade
Publicidade