Publicidade
Esportes
Craque

Rolo Compressor vence o clássico Pai-Filho, e faz Naça sofrer a segunda derrota seguida

Com gol do artilheiro do Amazonense Charles, agora com 13 gols, Nacional perdeu mais uma vez, desta vez jogando em casa 21/05/2015 às 23:37
Show 1
Charles garantiu a vitória do Fast sobre o Nacional
Anderson Silva Manaus (AM)

No embate entre a ‘Maquinaça’ e o Rolo Compressor prevaleceu a força do Rolo, que fez o Nacional somar a segunda derrota consecutiva no Campeonato Amazonense, na noite de ontem no estádio da Colina.

O placar magro de 1 a 0, marcado pelo goleador do Estadual, Charles Chenko, aos cinco minutos, em um pênalti duvidoso, foi o suficiente para o Tricolor de Aço vencer o Leão. Chenko tem agora 13 gols no Barezão. O Fast e Princesa do Solimões somam 37 pontos. A decisão de quem fica com o vice ficou para última rodada. O Naça continua líder com 45 pontos e o Penarol é o quarto com 30 pontos.

Tiro certeiro

 O Fast precisou somente de um lance, aos dois minutos, para abrir o placar. O zagueiro Luan que pela segunda vez entrou como titular perdeu a bola na esquerda, Romarinho partiu sozinho para a grande área e foi derrubado pelo goleiro Rodrigo Ramos. O árbitro marcou pênalti,  bastante questionado pelos jogadores do Nacional. Com a reclamação dos jogadores finalizada, somente aos cinco minutos, Charles bateu no canto esquerdo e chegou aos 13 gols: 1 a 0.

O gol fez o Nacional partir para o ataque. Com Hyantony, atacante de ofício, a bola pouco chegou ao jogador, coube ao setor de criação chegar com mais perigo. Mas a marcação forte do Fast e as faltas atrapalharam os planos do Leão.

Sem um ataque fulminante, o lateral Peter, o meia Fininho e os volantes Lídio e Felipe Manoel tentavam de longe, já que  o Charles do Naça se esforçava, mas a marcação homem a homem não permitiu boas criações. Uma boa chance do Naça foi aos 34. Hyantony raspou a bola com a cabeça, fazendo Lábila espalmar pra fora.

Com mais posse de bola, o time Tricolor apenas tentava no contra-ataque, mas esbarrava na defesa do Naça.

No início do segundo tempo, Lana tirou Hyantony e Felipe Manoel e colocou Leonardo e Weverton, fazendo o Leão ir mais vezes a área do Fast. Com a defesa um pouco mais aberta, o Fast passou a subir também  com perigo em algumas oportunidades.

O Tricolor criou bons lances, enquanto as bolas do Nacional pararam nas mãos de Lábila.

No domingo, o Nacional enfrenta o Princesa, na Colina, e o Fast encara o Rio Negro, no estádio Carlos Zamith.

Publicidade
Publicidade