Publicidade
Esportes
Craque

Romário ao ataque: de passagem por Manaus, senador falou de CPI, CBF e futebol amazonense

Ex-craque dos gramados, o Baixinho se tornou um gigante na luta contra a corrupção no esporte brasileiro. Idealizador da CPI do Futebol, o senador da república voltou a atacar a alta cúpula da Confederação Brasileira de Futebol 12/11/2015 às 19:12
Show 1
Romário voltou a atacar a CBF e também falou do futebol amazonense.
Denir Simplício e Marcela Moraes Manaus (AM)

De passagem nesta quinta-feira (12) por Manaus para visitar o Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gacc), o ex-craque Romário (hoje senador da república pelo PSB-RJ) não teve como se esquivar das questões envolvendo o momento do futebol brasileiro. Além de falar da CPI do Futebol, o ex-jogador comentou sobre o futuro político, Seleção Brasileira, convocação e até avaliou o futebol baré

A pauta principal das questões feitas pela imprensa foi a CPI do Futebol, cujo Romário foi o idealizador. Ferrenho opositor da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Baixinho se torna um gigante quando o assunto é punir de forma exemplar a alta cúpula da entidade que, segundo as investigações da Comissão, está envolvida em casos de corrupção.

“O futebol brasileiro, com as informações que chegaram, com as quebras de sigilos bancários e fiscais de, praticamente, todas as pessoas... posso afirmar é que o futebol brasileiro está em péssimas mãos”, disparou o tetracampeão com a Seleção Brasileira nos Estados Unidos.

“As pessoas que estão envolvidas no futebol cometeram vários crimes. Posso afirmar que a corrupção impera em algumas instituições do futebol mundial e principalmente na CBF”, confessou Romário.

Prorrogação da CPI

Com novo prazo ganho no Senado – a CPI do Futebol se estenderá até junho de 2016 – tendência é que as investigações sobre casos de corrupção no futebol apurem mais casos e apontem novos acusados.

“A prorrogação dessa CPI é de grande importância porque nos dá, daqui pra frente, mais quebras de sigilos bancários, fiscais, telefônicos... e nós vamos descobrir quem faz mal pro futebol brasileiro”, enfatizou o senador, afirmando que punirá os infratores. “No meu relatório, vou dizer quem são essas pessoas que tem de pagar pelos seus crimes”.

“Nome aos bois”

Romário, como sempre, deu “nome aos bois” e apontou o atuou o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, seu antecessor, Ricardo Teixeira e o atual mandatário da entidade, Marco Polo Del Nero, como os principais envolvidos nos casos de corrupção investigados pela CPI do Futebol no Senado.

O senador Romário Farias também apontou as convocações para a Seleção Brasileira como parte a ser investigada. “Dentro de campo nós temos visto convocações que não são os melhores jogadores nas suas posições. São aqueles jogadores que dão mais lucros na hora do negócio e por isso, infelizmente, nós passamos essas vergonhas que a gente vem passando aí.”, criticou.

Personalidade em campo

Questionado sobre ter criticado o zagueiro Thiago Silva por sua falta de personalidade em campo, Romário afirmou que o jogador brasileiro se tornou um robô.

“O futebol brasileiro já não tem personalidade há alguns anos. Isso só se confirmou na Copa do Mundo e na última Copa América também. Eu acredito que se não mudar a mentalidade do jogadores, se os jogadores que forem convocados pra Seleção vierem fazendo o seu papel de robô, vamos continuar da mesma forma”, apontou.

Neymar é o cara

Ídolo no Barcelona nos anos 1990, Romário falou sobre a genialidade de Neymar e apontou o camisa 11 do Barça como o diferencial na Seleção.

“Neymar é o nosso grande nome. Grande jogador que a gente tem esperança de um futuro melhor no nosso futebol e no presente, é claro, também. Mas infelizmente futebol se joga no mínimo com 11, fora os reservas. Então um só não pode sempre fazer a diferença”, disse o ex-craque, lembrando do passado de glória do time canarinho.

“A história do futebol brasileiro é que em todas as seleções nunca tiveram menos de três, quatro grandes jogadores. E nessa seleção hoje tem bom jogadores? Tem. Mas não jogadores que façam a diferença no nível do Neymar. A gente tem sempre que esperar uma inspiração a mais do Neymar e que o time contrário não esteja no seu dia, porque se não vai ser difícil vencer”, avaliou o Baixinho.

Futebol Baré

Romário também falou sobre o futebol amazonense e do apoio que tem recebido do senador Omar Aziz na CPI do Futebol. “Nessa CPI nós temos conversado com o Brasil todo e é bem nítido, pelo menos o senador – que foi um dos representantes aqui do Amazonas, que foi governador, - Omar Aziz, tem sempre feito suas colocações em relação ao futebol do Amazonas. Ele também entende que o futebol amazonense está longe do que é um grande futebol. Muitas coisas ruins aconteceram ao longo desses anos”, comentou o senador.

Perguntado o que poderia ser feito para o futebol evoluir nacionalmente, Romário voltou a atacar a CBF. “Sempre tem coisas que devem ser feitas para melhorar o futebol, no modo geral e no Amazonas não é diferente. Principalmente se a CBF cumprir o que está no seu estatuto, que é fomentar o futebol, principalmente, de base e o futebol feminino. Isso já seria um primeiro passo para melhora no futebol brasileiro e, consequentemente, daqui também”, analisou.

Futuro político

Sempre à frente das pesquisas de intenção de voto no Rio de Janeiro, Romário disse não estar pensando em disputar as eleições para a prefeitura do Rio no ano que vêm. Mas avaliou que deve estar fazendo um bom trabalho, por isso a lembrança do eleitores.

“Fui eleito para oito anos de mandato no senado e nesses oito anos vêm algumas eleições. Por exemplo: ano que vem, a prefeitura; em 2018, o governo. Eu não posso dizer o que vai acontecer em relação a eleição do ano que vem. Segundo as pesquisas, eu sou um dois primeiros nas pesquisas. Isso é positivo. Mostra que o trabalho que eu tenho feito tem sido aceito de uma maneira bem positiva. Mas vou pensar. Isso eu vou deixar pra mais tarde”, despistou.


Publicidade
Publicidade