Publicidade
Esportes
RIO-NAL

Há 10 anos sem vencer rival, Rio Negro entra em campo querendo quebrar tabus

O Rio Negro está há nada menos que 3.894 dias sem vencer o clássico Rio-Nal, ou seja, há dez anos a torcida rionegrina não sabe o que é derrotar seu maior rival 24/09/2016 às 09:00
Show menino lana
Rio Negro está há 10 anos sem vencer e há 8 sem fazer gol no maior rival. Foto: Denir Simplício
Camila Leonel Manaus (AM)

O que você estava fazendo no dia 26 de janeiro de 2006? Muita gente pode não lembrar o que fez, comeu, ou vestiu nesse dia, mas para o Rio Negro, este dia ficou marcado por ter acontecido a última vitória contra o maior rival: Nacional. De lá para cá, são 3.894  dias de jejum que podem ser quebrados às 16h de hoje, no estádio Roberto Simonsen, ou estádio do Sesi, Zona Leste de Manaus.

Mas a missão não será tão fácil para os jogadores do Galo. O Rio Negro fechou o turno na sexta colocação, penúltimo lugar, com quatro pontos: uma vitória e um empate. O Nacional, por outro lado é o vice-líder da competição e pretende recuperar a liderança do Barezão. Situação bem diferente de 2006, quando o Galo venceu por 2 a 1. Os gols de Fábio Marcos levaram o Rio Negro à liderança isolada do primeiro turno do Baré. Nacional, após aquele jogo, ficaria fora da segunda fase do Amazonense com apenas dois pontos.

Nos 3.894 dias que separam o último trunfo do Nacional dos dias atuais, foram 18 jogos, 17 vitórias e um empate. A maior diferença de placar foi no Campeonato Amazonense de 2012, quando o Naça venceu por 7 a 0. Falando em gols, faz tempo que o Rio Negro não balança as redes do Nacional. A última vez que isso aconteceu foi no Campeonato Amazonense de 2008, quando o Naça venceu por 4 a 1. Anderson é o nome do autor do último gol do Galo. Depois disso, lá se vão oito anos sem gols e sem vitórias.

 Apenas em dois anos o clássico não aconteceu: em 2010 e em 2014. Nos dois anos, o Rio Negro estava disputando a série B do Barezão.

Realidades diferentes

A situação dos dois times também possui uma disparidade bem grande. A equipe do Nacional tem um grupo que joga junto há um tempo. O Rio Negro ainda está em fase de estruturação. Branco deve fazer o seu primeiro jogo contra o Naça, é o que garante Aderbal Lana, técnico do Rio Negro.

Já o meio campo Neto, que estreou na quarta, já é um desfalque para o Rio Negro. O jogador cumpre suspensão após ser expulso contra o Fast.

Do outro lado, um dos principais jogadores do Nacional, Polaco está praticamente fora do clássico. Ele sofreu uma entorse no joelho direito e não participou dos treinos após o jogo contra o Princesa do Solimões.

O Nacional vem de derrota para o Princesa e perdeu a liderança do campeonato. Um motivo a mais para tentar manter a invencibilidade diante do Rio Negro.

Três perguntas para Aderbal Lana

Como o Rio Negro chega para o clássico deste sábado?

 A situação nossa  é muito difícil. Então a gente está  aqui procurando manter o Rio Negro jogando e pelo menos não passando vergonha, né. Independente se a gente chegue à vitória ou não, o nosso objetivo sempre é entrar em campo e fazer um bom jogo.

E quais são as maiores dificuldades que o time vem enfrentando?

Nós estamos até fazendo um primeiro tempo bom, mas no segundo a gente cai. Não tivemos tempo de treinam muito e vem jogo em cima de jogo e tem a questão financeira também, mas os jogadores têm boa vontade, o problema é que enfrentar o ‘Nacional Atlético Clube’ é difícil, mas continuamos na luta.

Por que esse jejum tão grande do Galo, na sua opinião?

O Galo há muitos anos deixou de ser uma equipe com investimento. Nós temos o número mínimo de atletas. O Nacional, não. Eles sempre contratam, sempre trouxeram jogadores e eles levam vantagem em relação a isso. Tem investimento. Mas tabus existem para serem quebrados e vamos tentar quebrar esse.

Publicidade
Publicidade