Publicidade
Esportes
Em busca do acesso

Princesa enfrenta Palmas, em Tocantins, sem torcida rival e sem Edinho

Retrospecto contra o time tocantinense anima, foram duas vitórias em dois jogos nesta Série D 30/07/2016 às 09:39 - Atualizado em 30/07/2016 às 11:21
Show zcr043001nota3 p01
Jefferson e Michell Parintins costumam brilhar contra o Palmas. (Foto: Evandro Seixas)
Valter Cardoso Manaus-AM

Após 34 dias do primeiro confronto, Princesa do Solimões e Palmas-TO voltam a se enfrentar na Série D do Brasileirão, neste sábado (30), às 17h30, no Estádio Nilton Santos, em Palmas.

O retrospecto é favorável ao time de Manacapuru, na primeira fase foram dois confrontos com o time tocantinense e duas vitórias. A primeira, uma virada após estar perdendo por 2x0 na casa do adversário. Depois deste jogo, inclusive, foi que o Tubarão do Norte passou a ser o predador nos mares da Série D. “Luta, disposição. Passamos a encarar cada jogo como uma decisão. Vinhamos jogando bem, mas não conseguíamos as vitórias. Mas nas dificuldades tem que encarar como se fosse a última bola do jogo e seguimos com esse espirio. Agora, em mata-mata, tem que ter esses espiríto de que cada jogo é uma final, cada jogo é uma decisão”, declarou Zé Marco, técnico do Princesa do Solimões, que depois da virada heróica venceu novamente o Palmas no Amazonas.


Apesar de conhecer bem o adversário, o time já se prepara para uma partida dura.  “Da mesma forma que nós conhecemos o adversário, eles nos conhecem. Pode ter algo de diferente na hora que entrarmos em campo. Temos que nos preparar, vai ser uma guerra, uma decisão onde vamos ter que nos manter atentos”, garantiu Zé Marco.
A ideia do time amazonense é vencer fora de casa para levar uma boa vantagem para decidir a vaga para a próxima fase no dia 07 de agosto. 

Sem torcida
Além do retrospecto favorável, o Princesa vai ter outro aspecto que pode pesar a seu favor dentro de campo. Apesar de jogar em casa, o Palmas não vai poder contar com o apoio da sua torcida, isso porque  o laudo de condições sanitárias e de higiene e também o lauto de acessibilidade e conforto do estádio Nilton Santos tiveram as datas vencidas e novos laudos não foram apresentados para CBF, que emitiu a decisão durante a semana.

Mesmo sem o peso da torcida adversária, Zé Marco minimizou a influência que isso pode ter dentro de campo.
“Para nós não muda nada. Estamos preocupados com a qualidade do adversário. O fator torcida, pra nós, não muda nada. Com ou sem torcida as dificuldades serão as mesmas”, destacou o treinador.

Desfalque
A notícia negativa para os torcedores do Tubarão do Norte é a lesão de Edinho Canutama. O jogador se machucou na última partida da primeira fase, contra o Baré-RR e não se recuperou a tempo de viajar para Tocantins.“Pesa (o desfalque). É um atleta que jogou todos os jogos e não tenho outro atleta com as mesmas caracteristicas no elenco, mas trabalhamos algumas alternativas durante a semana”, explicou Zé Marco, que se mostrou tranquilo quanto ao substituto. “O Importante é que estamos tranquilos e conscientes de que quem entrar vai fazer um grande jogo”, finalizou ele.

Publicidade
Publicidade