Publicidade
Esportes
Craque

Salcomp x Apolo jogam domingo (20) pelo título feminino do Peladão Brahma 2015

Cada time venceu seis vezes nesta temporada o que da á idéia de que não há favorito. Agora você vai conhecer duas histórias que explicam um pouco da saga  19/12/2015 às 15:45
Show 1
Cada time venceu seis vezes nesta temporada o que da á idéia de que não há favorito.
acritica.com Manaus (AM)

Chegou a hora da grande final. Os dois melhores times da temporada feminina do Peladão têm encontro marcado para domingo, às 9h, no campo do Sesi. Salcomp e Apolo entram em campo para que um deles escreva o nome na história. Nada mais nada menos do que dois dos mais tradicionais times da competição.

Cada time venceu seis vezes nesta temporada o que da á idéia de que não há favorito. Agora você vai conhecer duas histórias que explicam um pouco da saga e do porque destas equipes chegarem tão longe em 2015. Vá ao jogo no domingo e não perca a cobertura no jornal A CRÍTICA, MANAUS HOJE e no portal ACRÍTICA.COM.

Maria, uma mulher de muita atitude


Não se engane pela beleza dela, pois Maria Wilce é a grande aposta para fechar o gol do tradicional Apolo Futebol Clube na final de domingo. Contra a Salcomp, a goleira, de 34 anos, promete colocar em prática tudo o que aprendeu sobre defesas.

Industriária, a dona das luvas do Apolo pretende parar o time da Salcomp, que, aliás, é sua ex-equipe no Peladão. Antes ela defendia o time do Distrito Industrial, mas agora está à frente do gol do Apolo há aproximadamente 9 anos.

Ela conta que aprendeu com o irmão a gostar de futebol, ainda quando tinha 9 anos. “Éramos só nós dois e sempre brincávamos de bater pênalti, por isso a paixão logo por ser goleira”, revelou. Os primeiros lances com a bola debaixo de um travessão de madeira aconteceram em um sítio da família localizado no quilômetro 165, da rodovia que liga Manaus a Itacoatiara.

Maria Wilce deu um recado para o time da Salcomp: “Eu jamais perdi um jogo para a Salcomp”. Em compensação, jamais ganhou o Peladão. “Já fui vice duas vezes, mas campeã nunca”.

Para conseguir o título inédito, Wilce aposta nos árduos treinamentos realizados na escolinha de goleiros, que fica no Clube dos Sargentos, no bairro de Flores, Zona Centro-Sul. A industriária relatou que aprendeu tudo sobre os fundamentos com o ex-goleiro profissional Mário César, um dos proprietários da Escola de Goleiros. “Eu não tinha muita experiência e depois que treinei na escolinha e aprendi sobre os fundamentos melhorei bastante”, explicou.

A aquisição da experiência e fundamentos do gol fez com que Wilce se aperfeiçoasse sobre o assunto. “Lá eles ensinam de tudo, como cair, defender em cima, em baixo então aprendi muito e hoje estou muito melhor no gol”, disse. Segundo Wilce, a receita para sair campeã dentro de campo e levantar a taça é ter atitude. “Não adianta ter nervosismo”.

Sara e Selma no ataque


Se de um lado tem um paredão no gol, do outro tem duas fominhas de bola que estão a ponto de bala para balançar a rede do Apolo durante a grande final, no domingo. A dupla Selma Freitas e Sara Magno, as atacantes da Salcomp, estão ansiosas para o jogo. Elas garantiram que irão fazer o melhor jogo do campeonato e que irão fazer de tudo para saírem de campo com a taça na mão e gritar juntas com o time o coro de “É campeão”.

Do lado direito do campo atua a Sara e do lado esquerdo a Selma. Juntas elas infernizam a zaga adversária e vão com tudo para cima do time do Apolo. Segundo a atacante Sara, a expectativa é a melhor possível para o jogo. “Vou entrar para jogar e ganhar com o time”, contou.

Selma e Sara são as artilheiras do time. Cada uma possui cinco gols na competição e a fome de balançar a rede ainda não parou por aí. “Antes era a minha velocidade e chute quando era mais nova, mas agora faço mais gols e ainda consigo meter medo nas adversárias. Vamos ver no que vai dar”, disse Selma. As duas são unidas no ataque e nada melhor do que a união da experiência com a juventude, além da garra e força de vontade.

Selma já está à frente do ataque da Salcomp há oito anos e levantou a taça de campeã em 2011. Já Sara é a primeira vez que atua pelo time do Distrito Industrial e já encara sua primeira final atuando ao lado da equipe. “Minha primeira vez no time e primeira final. Estou empolgada e espero sair com o título”, destacou.

As duas pretendem resolver o jogo no tempo normal, mas se for para as penalidades máximas a responsabilidade vai cair para a dupla. “Vou bater normal e, se Deus quiser, vou marcar e ajudar meu time”, disse Selma Freitas. A jogadora Sara destacou que ambos os times fizeram boas campanhas e irão fazer um ótimo jogo na final. “As duas equipes têm mérito. Estamos no mesmo nível e vamos pro jogo”.

Publicidade
Publicidade