Publicidade
Esportes
Craque

‘São inverdades’, diz o presidente do São Raimundo sobre situação dos jogadores do Tufão

Mozart dos Santos veio à público para afirmar que os atletas do Tufão não estão passando necessidade alguma no alojamento e que caso de Ramon foi fato isolado. Segundo o mandatário do clube, nenhum jogador deixará de receber os atrasados em sua gestão 22/05/2015 às 15:26
Show 1
O presidente do São Raimundo, Mozart dos Santos, afirmou que nenhum jogador do São Raimundo deixará de receber os atrasados.
Denir Simplício Manaus (AM)

“Me sinto desmoralizado”, é com essa frase que o presidente do São Raimundo Esporte Clube, Mozart dos Santos, responde às críticas de parte da torcida do Tufão da Colina. De acordo com o mandatário, os atletas têm toda a estrutura de alimentação e medicamentos à disposição no alojamento. Mozart ainda confirmou que deve dois meses de salários ao elenco e que tudo será quitado em breve.

“É dolorido receber tantas críticas e saber que os jogadores tem tudo do bom e do melhor. Não falta absolutamente nada pra eles no alojamento”, comentou Mozart, indignado ao saber das críticas da torcida.

Falta de local para treinos e salários atrasados foram dois dos quesitos que assombraram o elenco colinense durante esta edição do Barezão. Mesmo assim o time chegou na penúltima rodada da competição com chances de figurar entre as quatro melhores equipes do campeonato e só perdeu a vaga nas semifinais no último minuto do duelo contra o Iranduba.

Mozart enalteceu o espírito de luta dos jogadores, mas não admitiu as acusações de torcedores do São Raimundo de que só era servido pão para os atletas. “90% dos jogadores que estão no clube hoje, já estiveram conosco antes. Se isso fosse verdade eles não voltariam esse ano”, afirmou o dirigente.

Represálias

O presidente do Tufão ainda comentou o caso do atacante Ramon, que deixou a última partida do time carregado pelos torcedores para um hospital. “O caso do Ramon foi um fato isolado. É um caso até humanitário. Se você vê uma pessoal precisando de ajuda, você não iria ajudar? Foi isso o que os torcedores fizeram. Mas medicamento não falta pra ele. Isso eu posso afirmar”, lembrou o mandatário, afirmando que o caso do jogador não era grave.

“Esse tipo de atitude (de Ramon) é feita como represália pelo fato do atraso de salários. Fazem isso pra pressionar. Sei que estamos devendo dois meses de salário, mas não é culpa nossa. Estamos esperando o repasse do governo aos clubes. Se não fosse isso, não estaríamos devendo ninguém”, disse Mozart afirmando que o clube não responde nenhuma ação trabalhista na Justiça do Trabalho.

Do próprio bolso

Mozart dos Santos fica na presidência do São Raimundo até novembro de 2016, mas se disse cansado com as constantes cobranças à frente do clube. “Quando terminar esse meu mandato eu não quero mais nada com o São Raimundo. Você tem de ser doido pra aguentar tanta porrada”, desabafou o dirigente, afirmando que tem tipo prejuízos desde que assumiu o clube.

“Todos os dias eu gasto do próprio bolso R$ 500 só pra alimentar aquela tropa. Fora que o prédio que eles ficam é de minha propriedade e poderia estar alugado. Há cinco meses eu poderia estar lucrando um bom dinheiro, mas não! Está lá para que eles tenham o conforto que merecem”, disse.

Segundo Mozart, a folha mensal do clube é de R$ 75 mil mensais e que os dois primeiros meses de salário do elenco foram bancados com dinheiro dos próprios dirigentes. “Gastamos do próprio bolso em janeiro e fevereiro R$ 150 mil do próprio bolso. Estamos devendo o mês de março e abril, mas estamos aqui no MPE para tentar resolver o problema do repasse do dinheiro do governo para sanar essas contas”, disse o mandatário afirmando estar no Ministério Público do Estado para solucionar o problema da não liberação do dinheiro aos clubes de futebol do Amazonas, que deve ser de R$ 2 milhões.

Por fim, Mozart pediu paciência aos jogadores e que os vencimentos em atraso serão resolvidos o quanto antes. “Vamos sentar com os atletas e resolver isso. Quem quiser ficar nós vamos continuar pagando estadia e alimentação, sem problemas. Não vamos deixar de pagar ninguém. Assumimos um compromisso e vamos cumprir”, finalizou o presidente do São Raimundo.

O Tufão volta à campo neste sábado (23), às 15h, no estádio da Colina, para fazer sua última participação no Barezão 2015 contra o Manaus FC. Com 26 pontos na tábua de classificação do campeonato, o “Mundico” não tem mais chances de seguir na competição e apenas cumpre tabela diante do Gavião do Norte. 


Publicidade
Publicidade