Sábado, 27 de Fevereiro de 2021
RESPIRO

São Raimundo é absolvido de multa pecuniária em caso de assédio de torcedor

Clube recorreu somente da multa, mas as demais punições seguem valendo. Pleno levou em consideração o momento financeiro do Tufão decorrente da paralisação do calendário



WhatsApp_Image_2020-04-22_at_20.58.34__2__8DE663FE-84CC-4617-BA43-B451AB337187.jpeg Foto: Divulgação/S.R.E.C
23/04/2020 às 19:42

Na tarde de ontem (23), em sessão remota, o Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas (TJD-AM) julgou o recurso do São Raimundo em relação à multa pecuniária aplicada ao clube em referência à punição por conta do caso de xingamentos de um torcedor colinense a uma jornalista, na abertura do returno do Barezão 2020. E por ampla maioria, o Pleno absolveu o clube da multa de R$ 3 mil. O recurso não levou em consideração as demais punições, que continuam valendo.

Portanto, o clube ainda terá que cumprir 20 partidas com faixa pregando respeito às mulheres, a Torcida Organizada Furacão Azul (TOFA) continua suspensa por 30 dias de suspensão e o senhor Eyler Nogueira Curico, torcedor e presidente da TOFA, mantém-se suspenso por 720 dias dos estádios - em caso de descumprimento, o indivíduo será multado em R$ 10 mil. 




(Ricardo Jerônimo foi o advogado do São Raimundo na sessão remota do TJD-AM. Foto: Reprodução/Zoom)

Prejuízo ‘bucheiro’

Com a absolvição, o Tufão da Colina consegue dar um ‘respiro’ financeiro em um momento bastante complicado para os clubes, os quais foram impactados por conta da paralisação do calendário em decorrência do novo coronavírus.

Vale lembrar que, em dezembro de 2019, o São Raimundo já havia sido multado em R$ 3 mil por conta de incidentes na final da Série B do Barezão e, em fevereiro deste ano, foi multado em R$ 2,5 mil por conta de briga de torcidas no confronto contra o Fast, pelo primeiro turno do Amazonense 2020.

Para Ricardo Jerônimo, advogado clube, a absolvição foi positiva. “Ajuda um pouco o clube, que ainda procura sanar as dívidas causadas pelo fim antecipado do campeonato. O TJD foi compreensível com a situação que todos os clubes estão passando”, afirmou o defensor do Tufão, que durante a sessão, alertou para o comportamento da torcida do Tufão.

“Nossa torcida precisa se educar, precisa colaborar com a segurança nos estádios e colaborar com o próprio clube. São mais de R$ 8 mil (com a absolvição, mais de R$ 5 mil) em penas pecuniárias em pouco mais de três meses. É muito para o clube”, destacou Jerônimo.

News leonardo 9028af08 26fb 4271 b322 4409cded8370
Repórter do Craque
Jornalista em formação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e repórter do caderno de esportes Craque, de A Crítica. Manauara fã da informação e que procura aproximar o leitor de histórias – do futebol ao badminton.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.