Publicidade
Esportes
Craque

São Raimundo e Princesa se enfrentam na abertura da segunda rodada do Barezão 2015

Partida acontece às 15h deste sábado (28), no Estádio Ismael Benigno (a Colina), localizado na Zona Oeste de Manaus. A TV A Crítica transmite o jogo ao vivo 28/02/2015 às 08:56
Show 1
Estádio da Colina será palco, neste sábado, da abertura da segunda rodada do Campeonato Amazonense 2015
anderson silva e felipe de Paula Manaus (AM)

O São Raimundo abre a segunda rodada do Campeonato Amazonense recebendo o vice-campeão Amazonense 2014, Princesa do Solimões, buscando a segunda vitória no Estadual, hoje, às 15h, no estádio da Colina, Zona Oeste - com a transmissão da TV A Crítica. A partida também marca, oficialmente, o retorno do São Raimundo ao estádio da Colina, repaginado após a Copa do Mundo.

Quanto ao Tubarão cabe a recuperação. Na última quarta-feira a equipe empatou com o Operário em 2 a 2 no clássico da Terra da Ciranda, realizado no estádio Jornalista Carlos Zamith. O empate gerou até cobranças por parte da diretoria ao elenco ainda no vestiário do estádio.

Princesa favorito?

Mesmo com o resultado na vitória de virada sobre o Nacional Borbense por 3 a 2, no estádio Jabotão, em Borba, o técnico do São Raimundo, Eduardo Clara, preferiu jogar o favoritismo para o Princesa. “Estamos falando de uma equipe que nos últimos anos vem se destacando e temos que respeitar. Tem um orçamento, ritmo de jogo superior ao nosso e tem jogadores rápidos. Vai ser um jogo difícil e quem estiver preparado e numa tarde feliz vai fazer um grande jogo”, garantiu o técnico, que acompanhou o empate do rival e espera surpreender no jogo.

“A equipe no todo sempre trabalha no sentido de posicionamento. Temos que neutralizar a movimentação forte da equipe deles e conseguir se posicionar bem”, disse o treinador que faz mistérios quanto à escalação da equipe.

Quanto à segunda partida com um time do interior, Clara prevê dificuldade.

“Eu penso que as equipes do interior são muito competitivas. O Princesa empatou (contra o Operário) e o futebol está muito nivelado e com isso quem ganha é o futebol amazonense”,  garantiu o técnico lamentando não poder treinar na Colina antes do jogo. “É lamentável não poder treinar na Colina para esse jogo, nem por trinta minutos. Mas vamos esperar que as coisas mudem”, ponderou.

Adonias e bola parada

Mais que uma “arma”, o Tufão tem duas. A primeira delas é Adonias. O volante surge com elemento surpresa, variando para um meia-atacante e já marcou dois gols na temporada. A outra são as bolas paradas. Só no último jogo dois gols saíram em cobrança de falta e a outra de pênalti.

“O Adonias tem uma movimentação importante e ele surpreende nos jogos. Quanto às bolas paradas a gente continua treinando para continuar tendo sucesso e que possamos concluir os  gols”, finalizou.

Princesa vai sem Canutama

Vindo de um empate por 2 a 2 diante do Operário, no meio da semana, o Princesa do Solimões terá um difícil embate contra o São Raimundo. Edinho Canutama, uma das referências no ataque do Tubarão, sentiu dores no tornozelo e não joga.

Para compensar a ausência do jogador, o técnico Zé Marco  adianta o meia-atacante Léo Paraíba e promove a entrada do meia Douglas, ex-Guarani-SC, que estreia em partidas oficiais pelo time de Manacapuru.

A entrada de Douglas não é apenas para tapar buraco. O jogador de 27 anos pode dar uma maior tranquilidade ao meio campo do time, muito agudo e agressivo com o rápido Léo Paraíba.

“Ele (Zé Marco) quer um meio de campo mais cadenciado. Tenho uma característica de segurar mais o jogo e, dependendo da circunstância, podemos fazer isso para diminuir a pressão”, diz o jogador, feliz com a chance recebida.

“Tô feliz. A expectativa para a estreia é boa. A gente vem treinando forte para ter a oportunidade e vou tentar agarrá-la da melhor forma”, disse o jogador. “A hora de botar a cabeça no lugar”, finalizou.

Outro destaque do time é o lateral-direito Ley, 33, que foi um dos que mais correu e armou jogadas na partida contra o Operário no meio da semana. Segundo o técnico Zé Marco, Ley ainda nem mostrou tudo que sabe. “É um atleta já conheço de anos, ainda vai evoluir. Ainda não jogou tudo que sabe”, disse o técnico, que na preleção de ontem falou principalmente sobre manter a calma e a organização em momentos de dificuldade. Será uma batalha de nervos!


Publicidade
Publicidade