Publicidade
Esportes
A leveza da Princesa

Segunda Princesa do Peladão 2017, Chayra revela como o reality mudou a sua vida

Chayra se sente uma vencedora por ter chegado à final do programa. Em entrevista, ela falou sobre a sua rotina, família, planos para o futuro e, claro, Peladão 05/01/2018 às 17:06
Show chayra
Chayra falou do que viveu no Peladão a Bordo de 2017, e disse que agora só que comemorar com sua família. (Foto:Antônio Lima)
Jéssica Santos Manaus (AM)

Chayra Danielly, 21, chegou à final do Peladão a Bordo – o reality, conquistando o título de 2ª Princesa. Agora, duas semanas após deixar o iate, ela conta que leva do programa uma memória positiva, e sente saudades. “Saudades eu tenho, saudade de estar direto nesse rio, mas não pretendo participar de novo. Participaria quantas vezes desse  porque o Peladão é um sonho, trouxe muitas coisas boas para minha vida, e hoje eu sou a mulher que eu sou, com garra, força e determinação, por causa do reality, que mudou tudo na minha vida”, destacou. 

Chayra já havia participado do Peladão a Bordo em 2015, quando foi a quarta candidata a ser eliminada, mas conta que desta vez foi diferente. “Pelo fato de eu ter permanecido mais tempo no programa e ter vivido tudo de forma mais intensa, as pessoas viram mais ainda a Chayra que eu sou, minha vida mudou muito. Quando eu saí, achei incrível o carinho das pessoas comigo, que querem tirar foto até quando estou saindo na porta de casa, e isso é maravilhoso, é maravilhoso receber carinho de tantas pessoas”.

Mas o que as pessoas não viram no reality é o amor gigante de Chayra pela família. “Ficar longe da família, longe de todo mundo, sem saber o que tá acontecendo, é o mais difícil do reality. Minha família é a base de tudo, gosto muito de estar com os meus irmãos, assistir a filmes, conversar, e chorava por eles lá dentro porque eles são os meus melhores amigos”, afirma ela.

Além dos irmãos, que sempre estão com a Chayra, a Princesa do Peladão não mede esforços para ajudar os pais. “Perdemos tudo e, com o que sobrou, montamos uma loja de materiais de construção, que não é grande, e é de lá que a gente tira o nosso sustento. Como meu pai não trabalhar mais, por ser um senhor de quase 80 anos, minha mãe faz tudo, e a gente procura ao máximo ajudá-la”, conta Chayra.

Devido a problemas de saúde dos pais, Chayra se divide entre cuidar deles e se dedicar à vida de concursos, modelo e influenciadora digital. “Em 2016, minha mãe teve um AVC na época das inscrições e, por isso, não pude participar do Peladão, e procuramos ajudá-la para ela não se sobrecarregar, e eu tento conciliar o trabalho com a vida de blogueira e modelo, e cuidar do meu pai também, que tem alzheimer, diabetes, hipertensão, uma série de problemas que a velhice trouxe, e eu sou a cuidadora dele. Me preocupava muito com isso no barco porque, às vezes, meu pai passa mal, e era sempre eu que estava lá para acudi-lo. Então, assim que eu cheguei em casa, perguntei, e ele disse que só passou mal uma vez, graças a Deus”, disse. 

Além do trabalho e de cuidar dos pais, Chayra também cursa faculdade de psicologia, então não sobra muito tempo para o lazer. “Um dia desses, cheguei em casa quase 22h, cansada, mas falei pro meu irmão colocar um filme pra gente assistir porque no Peladão a gente não via TV. E, no meio do filme, eu dormi, mas, pelo menos, comecei (risos)”.

Para o futuro, Chayra afirma que deseja concluir seu curso de psicologia e fazer uma segunda graduação (direito), e trabalhar nas duas áreas ou unir as profissões em psicologia jurídica, e se aprofundar nisso. Além de tudo, ela também sonha em ter o seu próprio negócio. 

'Arrisquei tudo'

Chayra deixou o Peladão a Bordo com um sorriso no rosto, após chegar à grande final do reality, e ter recebido o título de 2ª Princesa do Peladão. Ela entrou no programa e, também, chegou à final com a contribuição dos votos do público e, dentro da sua jornada no iate, venceu várias provas, fez e desfez amizades também.

Independente disso, ela afirma que foi maravilhoso.  “Não tenho palavras para expressar o quanto fiquei feliz porque, pra mim, só de estar ali na final, já era uma grande conquista, então, fiquei maravilhada com tudo. Não ganhei todas as provas, mas cheguei perto. Me esforçava muito pra vencer provas de resistência, e mostrar para as pessoas o quanto eu queria aquilo”, disse.

O que foi difícil mesmo para Chayra foi trocar de lado no meio do reality. “Ter mudado de grupo fez com que muitas pessoas me vissem de forma boa e também de forma ruim. Arrisquei tudo, o meu sonho, para fazer o que eu achava que era certo”.

Publicidade
Publicidade