Publicidade
Esportes
José Aldo solta o verbo

‘Sou o mesmo que ficou 10 anos invicto’, diz José Aldo em entrevista exclusiva ao CRAQUE

Ex-campeão dos penas, José Aldo, fala sobre o seu primeiro passo rumo ao título dos penas: a luta contra Frank Edgar 02/05/2016 às 08:00 - Atualizado em 02/05/2016 às 09:05
Show ufc 200 poster aldo edgar
José Aldo diz que respeita Frank Edgar, mas que está pronto para vencê-lo mais uma vez (Foto: Divulgação)
Camila Leonel Manaus (AM)

Até dezembro de 2015, José Aldo Júnior era o rei do UFC, mas acabou perdendo o símbolo do seu reinado, que neste caso é o cinturão, para o irlandês Conor McGregor em 13 segundos. E, sem o título dos penas, ele sentiu na pele  o que era ser parte da “plebe” do UFC. Viu o chefão da organização, Dana White lhe negar a revanche. Depois acompanhou  McGregor subindo de categoria para enfrentar o também brasileiro Rafael  dos Anjos. Com a contusão do conterrâneo, Dana ainda tentou recorrer ao amazonense na última hora e levou um não como resposta.  Agora o amazonense volta a lutar no dia 9 de julho em Las Vegas, no UFC 200, que vai ser histórico para a maior organização de MMA do mundo.

O adversário é um velho conhecido, o norte-americano Frankie Edgar, que já sucumbiu  diante do Scarface no UFC 156. O reencontro  representa para o amazonense um passo para recuperar o cinturão linear, uma vez o vencedor levará para casa o cinturão interino dos penas. Aldo está nos Estados Unidos promovendo a luta e 100% confiante na vitória.

Para o lutador amazonense, Edgar não evoluiu desde a última vez que lutaram, mas para não deixar dúvidas,  irá se preparar para não deixar o resultado nas mãos dos juízes.

Neste papo exclusivo, Aldo falou sobre a preparação e não deixou de alfinetar o irlandês falastrão, depois da saída polêmica dele do UFC 200, quando disse que se aposentaria e, depois, todos ficaram sabendo que ele não queria cumprir os compromissos promocionais do  evento e, por isso, acabou fora do card.

Como você vem se preparando para a luta contra o Edgar? Vocês já lutaram e a luta terminou com uma vitória sua. Isso te deixa mais confiante para essa luta?

Com certeza. O Frankie é um grande lutador, que eu respeito bastante. Mas diferente do que dizem, não acho que evoluiu tanto assim, acho só que ele se adaptou na categoria. Continua fazendo o mesmo jogo, a mesma movimentação. Conheço o jogo dele e é se preparar para chegar lá e vencer. Estou me preparando muito bem, muito focado. Eu quero ganhar antes da decisão pra não deixar dúvida. Estou treinando pra isso, vou chegar lá com muita agressividade.

O Edgar declarou que a sua derrota para McGregor pode ter afetado e isso pode ajudá-lo. Quanto essa luta contra o McGregor e essa novela com o Dana White te afetam?

Não afeta em nada. Sou o mesmo lutador que ficou dez anos invicto e varreu a categoria dos penas. Quem pensa que a derrota ou essa novela toda envolvendo a marcação da luta me afetou está muito enganado, e vou provar isso dia 9 de julho.

É frustrante para um lutador que foi campeão por tanto tempo ter que lutar contra outro adversário e não fazer uma revanche com o McGregor?

Lógico que tem um pouco de frustração, mas fazer o quê? Sou contratado deles (UFC) e tenho que aceitar, chegar lá e lutar. Vejo essa luta como o primeiro passo para reconquistar o que é meu.

Acha que o McGregor está tendo privilégios no UFC?

Não acho não, tenho certeza. Todo mundo vê que eles dão tratamento privilegiado a ele, tudo envolve dinheiro, mas tem que respeitar o outro lado também, que tem uma história na organização. Nunca vi uma revanche de peso que não existe já que os dois não são daquela categoria, uma luta que não vale nada. Sempre tentaram fazer ele como campeão, mas não posso fazer nada, só chegar lá e vencer.

Você não teve sua revanche, Jacaré e Anderson Silva lutaram e, em meio à polêmicas, a vitória foi dada para o Yoel Romero e para o Michael Bisping, respectivamente. Você acha que está havendo uma perseguição aos lutadores brasileiros?

Não, não vejo dessa forma, não. Os brasileiros são grande parte do plantel do UFC e eles não fariam esse tipo de coisa.

Você falou que as pessoas não amam lutar. Que quer ver alguém lutar de graça. O que você quis dizer com essa declaração?

Foi um desabafo. Quando você ganha é o melhor do mundo, quando perde não vale nada. E o que quis dizer é que ninguém luta só porque gosta, temos família para sustentar e precisamos recompensar todo o esforço diário para chegar lá e sem capaz de fazer um grande show.

Você se decepcionou com o UFC?

Teve um pouco de decepção, sim, porque esperava a revanche contra o Conor por tudo que já fiz pelo UFC e pelo esporte. Mas sabemos como as coisas funcionam e pra ele (Dana White) a luta com o Diaz era mais rentável então tenho que aceitar, fazer meu trabalho quietinho e ganhar do Frankie para aí sim ter a chance de lutar pelo título. Nada na minha vida veio fácil, e enxergo essa luta como mais um desafio em busca do meu objetivo, estou focado.

Você pensa em parar depois que o contrato com o UFC acabar? Seus negócios, como a hamburgueria, é uma forma de garantir o futuro e te tornar independente do MMA e pendurar as luvas mais cedo?

Não sei te responder sobre quando pretendo parar porque realmente não sei, meu objetivo agora é um só que é retomar meu título. E quanto aos negócios fora do esporte com certeza é um objetivo meu, ser dono do meu próprio negócio e dar prosseguimento a minha vida quando não puder mais lutar.

Como você recebeu a notícia de que o McGregor tinha se aposentado? Com isso fica mais fácil o caminho de volta ao cinturão?

Com relação à saída do Conor pra mim não faz diferença nenhuma, a reclamação dele sobre vir fazer promoção de lutas e uma coisa que todo mundo que luta o UFC sabe que tem que fazer, se ele já está cansado antes de defender a primeira vez seu título, vejo que ele não está aguentando nem o início da pressão que é ser campeão, imagina o resto que vem por aí! Aposentadoria é só uma palhaçada para aparecer, não dei a mínima!

McGregor depois fez um texto reclamando da super exposição no UFC. Como os lutadores lidam com isso?

Cobrança existe, mas todos nós que lutamos no evento já sabemos disso há muito tempo. Então dizer que é demais, pra mim (Conor) não passa de uma garoto mimado que agora está mostrando quem realmente é! Pra mim fazer isso (promoção de lutas) antes do meu período de camp, é tranquilo.

 

Publicidade
Publicidade