Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Peladão Brahma

Time une tradição e novidade para buscar título do Peladão Brahma 2016

Liga do Aleixo/Náutico Clube encara as oitavas de final do Peladão com feito inédito e já sente o “cheirinho” do título



show_zCR040201olho7_p01__1_.jpg
A equipe treina no Campo do Vicentão, no Aleixo (Foto: Antônio Lima)
02/01/2017 às 05:00

No primeiro ano de participação de Peladão Brahma, o Liga do Aleixo/Naútico Clube chega às oitavas de final invicto, com quatro vitórias e dois empates, em seis jogos disputados. Mas se à primeira vista o time parece uma novidade, conhecendo melhor a história da equipe da Zona Centro-Sul de Manaus, dá para ver que não é bem assim. A equipe mistura o antigo e o novo dentro e fora de campo começando pela própria inscrição do time.

A Liga do Aleixo decidiu inscrever um time para o Peladão Brahma e o presidente, Neto, decidiu juntar a equipe com um tradicional time do Aleixo. Fundado em 1978, o Náutico Clube deixou de participar do Peladão há quatro anos. A decisão foi tomada quando a fundadora do time, Maria Portilho faleceu. Mas Ângelo Portilho, filho da fundadora do time e que trabalha na comissão técnica da equipe, abraçou a ideia e hoje comemora.

“Neste ano a gente resolveu dar uma mexida e está dando certo. O Neto, nosso amigo, tocou essa ideia e esse apoio que recebemos foi muito bom porque montar time não é fácil e quando se divide tudo fica mais fácil”, explicou. E deu tão certo que além da classificação para o mata-mata, a Liga do Aleixo/ Náutico conseguiu o apoio da comunidade do Aleixo.

“Graças a Deus conseguimos o apoio da comunidade. Alguns colegas nos ajudam. Para ter esse time a gente tem um quadro de direção que cada um dá R$ 30, 50 reais para ajudar o time”, contou. E além da ajuda financeira, o apoio vem com torcida também. O presidente da Liga explica que tanto no Campo do Vicentão como nos jogos fora de casa, a torcida comparece para apoiar os jogadores.

Experiência e juventude em campo

Mesmo com um time formado em sua maioria por moradores do Aleixo, a equipe também trouxe reforços de fora. Um deles é o experiente jogador Paulo Maik Rodrigues, o “Maikão”. O zagueiro que já é figura conhecida no Peladão Brahama é um verdadeiro xerife na defesa, passando a experiência de quem já foi campeão da competição. E como mais velho, ele sempre tem algum conselho para dar.

“Para mim é muito bom passar a confiança que eles têm em mim. Eu procuro passar tranquilidade e jogar o futebol. Além da alegria de jogar, também vem a responsabilidade de passar o que é preciso pra eles dentro e fora de campo. Normalmente eu falo mais dentro do que fora, mas quando não estamos jogando, chamo um por um e a gente conversa muito”, disse.

Além da experiência, outra coisa que ele demonstra é disposição. Aos 41 anos, ele dispensou convite para jogar na categoria máster para disputar o principal. O segredo para se manter em forma? Treino e dedicação. “A gente treina todo o tempo e eu procuro estar de bem com a vida. Me alimentar de uma forma correta e treino bastante, vou pouco pra noitada, principalmente agora que estou jogando”, revelou.

Um dos mais novos do time, Raimundo Neto de 22 anos, fala que com a mescla de jogadores novos e veteranos, o segredo para dar liga é o respeito. “A gente procura respeitar um ao outro. A gente procura nunca desrespeitar e acaba dando certo lá no final”, disse.

Artilheiro

Se a defesa está bem servida com experiência, na frente, o atacante Tuti, artilheiro do time, garante os gols. Fazendo um estilo caladão, ele diz que o negócio dele é marcar gols. “Falar é complicado. Eu prefiro fazer gols. Fiz 10 gols. Minha especialidade é com o pé, mas vai com com a cabeça... com o que der pra fazer eu faço”, disse. E a fase é boa no ataque. Em um dos jogos, Tuti marcou quatro gols em dia que o time ‘incorporou a Alemanha’ e venceu por 7 a 1 em plena casa do adversário.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.