Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020
EXEMPLO

Sem clube, goleiro Marco Antônio encontra nova fonte de renda na alvenaria

Desligado do Nacional, por onde disputou o Barezão 2020, o goleiro é ajudante de pedreiro enquanto aguarda novas propostas para voltar a calçar as luvas



marc_o_1_B71B7A40-DE75-4241-B4BB-5D84D3603478.JPG Foto: Acervo pessoal
19/08/2020 às 06:17

A vida é feita por altos e baixos, principalmente, no futebol. Um dia você ganha, em outros, você marca gol contra. Desistir não é uma opção. Muitos atletas, por ter familiares que dependem do seu esforço, fazem de tudo para não desampará-los quando chega o período de desemprego. O goleiro Marco Antônio, ex-Nacional FC, desde cedo nunca teve medo do trabalho pesado. Após rescindir com o Leão da Vila Municipal neste ano, precisou deixar as luvas de goleiro de lado e ser ajudante de pedreiro para ajudar seus pais e pagar a pensão de seu filho.

“Quando eu me tornei pai, em 2012, trabalhava de entregador no supermercado e logo depois fui trabalhar entregando gás. No ano seguinte, eu parei de trabalhar e fui jogar meu primeiro campeonato profissional pelo São José-RJ. Depois que acabou o campeonato, não recebi nenhuma proposta, então voltei para minha cidade e voltei a trabalhar no depósito de gás. Nos finais de semana, entregava lanches em uma pastelaria. Fiquei até o final de 2014 trabalhando, quando eu fui para Itaboraí jogar um campeonato amador. Lá os diretores e o técnico do time - que leva o nome da cidade -, me viram jogando e fui jogar a terceira divisão do Rio com eles, onde nos consagramos campeões”, relembrou o goleiro sobre sua trajetória.




Aguardando propostas, goleiro vive em Itaboraí (RJ). Foto: Acervo pessoal

Natural da comunidade de Jacaré, em Itaipu (RJ), Marcão - como é chamado no meio futebolístico - atuou em times como o São José-RJ, Assev-GO, Itaboraí-RJ , Doze-ES, Rio Branco-ES , Rio Branco FC-ES, Paduano-RJ, Gonçalense-RJ, Humaitá-AC e Nacional-AM, seu último clube. Infelizmente, em decorrência da Covid-19, não conseguiu terminar a temporada e, sem renovação de contrato, precisando sustentar sua família, recebeu uma proposta de um amigo para ajudar em obras pela a sua cidade.

“Esse ano estava tudo caminhando para ser um ano maravilhoso, mas infelizmente veio a pandemia e parou tudo. Meu contrato com o Nacional acabou e eu não tinha da onde tirar dinheiro. Um amigo precisou de um ajudante, eu falei com ele, que nunca tinha trabalhado na parte de obra, e ele falou que ia me ensinar. Então, comecei trabalhando com ele, porque eu ajudo meus pais e tenho pensão para pagar. A única alternativa para ganhar dinheiro era essa”, contou o carioca Marcão.

Aprendizado para a vida

A todo instante estamos aprendendo e descobrindo coisas novas. Para Marcão, essa nova experiência está servindo para valorizar o trabalho de cada pessoa e também como motivação para ser melhor dentro de campo.

“Eu aprendi muito. Principalmente, valorizar o seu trabalho, pois não é fácil você fazer algo que não está acostumado. Trabalhar de 7h às 16h, sol quente, carregando peso. Essas pessoas que trabalham nesta área, temos que valorizar muito. Quando eu botar minha chuteira de novo para treinar, eu vou lembrar de tudo que passei neste período, vou me dedicar muito para as coisas melhorarem e eu ajudar minha família fazendo o que eu gosto. Mas se for preciso eu trabalhar de novo, eu vou, porque independente da profissão, ninguém é melhor que ninguém, todos somos iguais. Uma coisa que não tenho é vergonha de trabalhar, ganhar meu dinheiro honestamente”, afirmou.


Goleiro fez parte do elenco do Nacional que disputou o Barezão 2020. Foto: Divulgação/Nacional FC

Futuro

Sem clube até o momento, o arqueiro aguarda uma proposta para voltar aos gramados. “Eu estava negociando com o Atlético-AC para jogar a Série D do Brasileiro e a Copa Verde, mas o vice-presidente do clube pegou o novo coronavírus e não está mexendo em celular, por enquanto. Entrou em contato também um time da segunda divisão do Carioca e estamos conversando”, completou Marco, que tem no currículo títulos do Campeonato Carioca Série C, com o Itaboraí-RJ, em 2015, e Copa Espírito Santo, em 2016, com o Rio Branco Atlético Clube.

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.