Publicidade
Esportes
INJUSTIÇA

Sem contrato, Dileno Lopes defende José Aldo e ataca UFC: 'falta de respeito'

Amazonense, que teve seu contrato de seis lutas rompido após a primeira derrota, diz que Aldo foi injustiçado 28/09/2016 às 19:42 - Atualizado em 28/09/2016 às 19:48
Show img0017317440
Dileno disse que lutadores da Nova União não pouparam críticas ao manda-chuva do UFC, Dana White (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Dante Graça Manaus (AM)

Ex-lutador do UFC, e um dos principais nomes do MMA amazonense, o lutador Dileno Lopes criticou a decisão do UFC de negar a José Aldo uma revanche contra Conor McGregor pelo cinturão dos penas. A escolha do UFC de dar a McGregor uma luta pelo título dos leves fez com que Aldo anunciasse, na noite de ontem, a aposentadoria do MMA.

Lutador da Nova União, mesma equipe  do ex-campeão, Dileno disse que a notícia repercutiu muito mal entre os amigos do lutador. "Só não chamamos o Dana White de santo", brincou Dilleno, durante entrevista ao vivo transmitida pelo facebook do Portal A Crítica. "Foi uma falta de respeito o que o UFC fez com o Aldo, não era para ter acontecido isso. É uma coisa muito triste, revoltante. Ele é respeitado em todo mundo, querido por todos, todos se inspiram no Aldo. É tudo muito injusto", criticou Dileno.

 

O amazonense relembrou o fato de Aldo e Anthony Pettis, ex-campeão dos leves, terem acertado uma luta em 2013 pelo cinturão da categoria, mas o brasileiro acabou recuando pois Dana White disse que ele deveria largar o título dos penas para lutar em outra categoria. "McGregor já está fazendo a terceira luta fora da categoria dele, isso é injusto. Ele vai lutar com um cinturão na mão".

Para ele, a decisão de Aldo de deixar o UFC é definitiva, mas ele não descarta um futuro do amigo em outra organização. "Eu acho que ele não quer mais, pela falta de respeito que o UFC teve com ele. Mas talvez ele vá para uma outra organização", cogita Dileno, que não vê o dinheiro como primordial nessa decisão. "Ele não ia lutar pelo dinheiro, ia lutar pela honra. 

A injustiça do UFC com os lutadores brasileiros não é novidade para Dileno. Ele mesmo tinha um contrato de seis lutas com a organização, mas acabou dispensado após realizar apenas uma luta, em julho deste ano, quando acabou derrotado.  "Fiz a primeira luta, foi uma luta boa, não foi uma luta chata. Meu contrato dizia seis lutas e eles não honraram com isso. Foi injustiça comigo também", disse ele, que chegou a temer pelo futuro. "Sou profissional, eu merecia estar lá. Eu lutei para estar lá. Fiquei triste, pensei até que minha vida tinha acabado", lamentou o vice-campeão do TUF Brasil 2015.

Focado nos treinos para seguir a carreira, Dileno disse que seus empresários estão buscando uma nova organização e espera estar de volta aos combates até o fim deste ano.  "Cheguei lá lutando e vou voltar lutando, seja no UFC ou não. Quero estar nos maiores eventos do mundo", disse, esperançoso.

Publicidade
Publicidade