Publicidade
Esportes
Craque

‘Seria legal o Vasco cair’: excluído do ‘Bonde da Stella’, Sheik torce pela queda do Cruz-Maltino

Atacante do Flamengo disse que, como flamenguista, vai vibrar com a queda da equipe de São Januário. Camisa 11 do Fla também aproveitou para falar que não foi convidado para “festinha” dos jogadores da Gávea 12/11/2015 às 11:32
Show 1
Sheik afirmou que está torcendo pelo rebaixamento do Vasco à Série B.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Emerson Sheik voltou a ser o centro de polêmica com a torcida do Vasco. Durante entrevista em um programa de rádio na noite desta quarta-feira (11), o atacante do Flamengo, além de afirmar que não foi convidado para a festinha promovida por jogadores da equipe, ainda confessou que torce pela queda do Cruz-maltino à Série B.

Mesmo afirmando que, como flamenguista, vai vibrar pela queda do arquirrival, Sheik ponderou ao analisar que o futebol carioca ficaria enfraquecido com o Vasco na Segunda Divisão.

“Falando como torcedor (do Flamengo), acho que seria legal o Vasco cair. Agora, para o futebol carioca, não. Aí é outra pegada. É bacana pra caramba esse lance da zoeira nas ruas e bares, a galera fazendo sinal de número 2, de Segunda Divisão”, disse Sheik, em entrevista à Rádio FM O Dia.  

Perdeu o ‘Bonde’

Conhecido por gostar da noite e curtir nas baladas dos boleiros, Sheik disse que nem sequer foi convidado para participar da festinha promovida pelos companheiros de time Pará, Paulinho, Marcelo Cirino, Everton e Alan Patrick. O que acabou acarretando a suspensão do quinteto.


“Não fui chamado. Mas tem algumas curiosidades sobre isso. As famílias estavam avisadas, ninguém estava ali escondido. Só que juntou com o mau momento do clube. Eu não posso falar que não iria que eu estaria me contradizendo, mas a vista da minha casa é muito mais maneira. Rapaziada, o lugar não era legal. Não sei nem onde fica. O importante é dizer que eles não estavam escondidos”, analisou.

Pendurar as chuteiras na Gávea

Flamenguista confesso, Emerson Sheik fez juras de amor ao Rubro-Negro desde a primeira vez que vestiu a camisa do clube, em 2009. Em sua segunda passagem pela Gávea, o atacante de 37 anos disse estar feliz na equipe e já fala em pendurar as chuteiras no Flamengo, mesmo com o salário inferior ao que recebia no exterior ou no Corinthians.


"Nas duas vezes que joguei no Flamengo, vim com contrato de 4 meses, de risco. Nem preciso dizer que o salário era completamente diferente do que era no Qatar. Cheguei ganhando 5, 10% do que ganhava lá fora. Esse ano voltei na mesma situação. Sai do Corinthians com um salário muito legal. Eu estou amarradão aqui no Fla. No que depender de mim, ficarei no Flamengo até o fim da carreira. Quero jogar até onde eu me sinto bem", afirmou Sheik.


Publicidade
Publicidade