Publicidade
Esportes
Bom exemplo

Time do Peladão tem projeto social que oferece escolinha em troca garrafas pet

Time do Peladão tem projeto social que envolve futebol e meio ambiente. Além de retirar as crianças dos perigos da rua, projeto recolhe garrafas plásticas para desenvolver consciência ambiental. 04/11/2016 às 05:00
Show zcr0204 04f
O campo do Sabiá, na Colônia Terra Nova, fica completamente tomado por garrafas, futebol e muita alegria das crianças. (Foto: Evandro Seixas)
Valter Cardoso Manaus-AM

O time Amazonas FC vem fazendo bonito nos campos de futebol e acumula quatro vitórias em quatro jogos, sem sofrer um gol sequer no Peladão Brahma 2016. Se o time dá show dentro das quatro linhas, fora deles o time brilha ainda mais. 

No campo do Sabiá, na Colônia Santo Antônio, Zona Norte, aproximadamente 100 crianças integram a escolinha do time. No local as crianças tem direito a lanche e aulas de futebol praticamente de graça. O único ‘preço’ que as crianças pagam são  garrafas PET, como uma forma de ajudar o meio ambiente e desenvolver a consciência ambiental.


“A gente tem uma média de 100 crianças hoje, então a gente decidiu cobrar de cada uma delas 10 garrafas de plástico. A gente deixa de jogar no lixo e nos igarapés. Sei que  isso não vai resolver o problema,  mas se cada um fizesse um pouco, essas coisas tinham um impacto menor na natureza”, explicou o presidente do Amazonas Futebol Clube, Macel Cardoso.

Todo o material é direcionado a uma empresa de reciclagem que faz a coleta semanalmente no campo do time e todo o trabalho é para o bem da comunidade.

“Não é só o futebol. Lógico, ser campeão do Peladão é o que todo mundo sonha mas só o fato de você fazer esse projeto social eu já tô muito feliz”, garantiu o presidente do time.

Não é só o mandatário do clube que participa do projeto social, os próprios jogadores fazem parte e ajudam a manter as crianças de toda a comunidade no caminho do esporte. 

“A nossa visão é de poder trabalhar e contribuir com a comunidade juntamente com o futebol e cremos que Deus, nessa caminhada, vai nos abençoar nesse grandioso trabalho”, explicou Wilson, jogador do Amazonas Futebol Clube

Em meio a incontáveis garrafas e garotos, ao entrar no campo do Sabiá, dá para percebe que o pagamento não é feito apenas com garrafas PET, mas com sorrisos.


Um dos destaques do projeto, Cauê, de 11 anos, já tira lições importantes. “Todo mundo joga bem, ninguém é melhor que ninguém”, explicou o jovem jogador, de maneira tímida. 

Futuro
O Amazonas já projeta um crescimento do clube para o futuro. A ideia é que, a partir do ano que vem, o time comece a disputar as categorias de base do Campeonato Amazonense para que em poucos anos o time monte uma equipe para disputa da Série B do Campeonato Amazonense.

“A gente tá federando o time, procurando parceiros para que possam nos ajudar a  bancar essa criançada,  porque a gente precisa dar café da manhã, merenda para poder treinar esses meninos, para que no ano que vem possam jogar as categorias de base, sub-13, sub-14 e sub-15. É esse material humano que vamos usar para 2019 e 2020 jogar o campeonato amazonense”, explicou Macel Cardoso.


Atualmente,   um time apoiado pelo projeto já disputa a categoria infantil do peladão, o Peladinho, com atletas do Alvorada que fazem parte do projeto.

Publicidade
Publicidade