Publicidade
Esportes
Craque

Só Jesus na causa: Nacional perde mais uma e se complica na série D

Com derrota no sábado e vitória do Rio Branco contra o Náutico, o Nacional precisa de um verdadeiro milagre para passar de fase no Brasileirão da Série D 23/08/2015 às 21:51
Show 1
O Nacional se vê cada vez mais distante da vaga e a classificação não depende apenas de si
Camila Leonel Manaus (AM)

A premissa do time do Nacional nos jogos de volta da Série D do Campeonato Brasileiro era “cada jogo é uma final” e o time amazonense perdeu a primeira final e se complicou ainda mais no grupo A1. Com a derrota, no último sábado (22), por 3 a 2 contra o Remo, em Paragominas (PA), o Leão da Vila Municipal segue com quatro pontos conquistados em 15. E a situação se agravou com a vitória do Rio Branco sobre o Náutico - RR por 2 a 1. Com isso, a equipe do Acre foi a 11 pontos, sete a frente do Nacional que aparece na quarta posição com quatro pontos. E será contra o Estrelão do Norte, que o Nacional jogará a sobrevivência pela vaga para a próxima fase na segunda (31).

O drama nacionalino começou na tarde de sábado. Após perder do Remo em Manaus, o time tinha a missão de ganhar do Leão Azul no Pará. Para este jogo, o Nacional teve 13 dias para se preparar para a partida sob o comando do treinador Paulo Morgado.

O português  entrou em campo com um 4-3-3, compactando  com uma atenção especial para Eduardo Ramos, que aterrorizou a zaga nacionalina no jogo em Manaus, além de ser o autor da jogada do gol remista na Arena. Em Paragominas, o Nacional começou bem  uma partida que era lá e cá. Porém , no meio desse equilíbrio, Edicleber chutou de fora da área aos 16 minutos e abriu o placar para o Remo. O Nacional não baixou a cabeça é foi para cima. Criou três boas chances de gol que foram desperdiçadas.

No segundo tempo, o Remo voltou mais forte e ampliou o placar logo aos sete minutos com Silvio. O terceiro gol foi marcado aos 28 por Henrique. Dois minutos depois, o Nacional diminuiu com Felipe. O autor do gol foi expulso aos 33 minutos após levar o segundo amarelo. Mesmo com um a menos, o Nacional agredia o time do Remo e conseguiu fazer o segundo gol com Júnior Paraíba, aos 43. O Nacional seguiu pressionando para conseguir, pelo menos arrancar o empate, mas o jogo ficou nos 3 a 2.

Com a derrota, resta ao Naça vencer as outras três finais que lhe restam e torcer para o Rio Branco não vencer o Remo no Acre.

O pior aproveitamento

Em cinco jogos, o Nacional conseguiu quatro  pontos e tem uma aproveitamento de 26%,  pior do que o aproveitamento do Náutico- RR - lanterna do grupo A1, que já está eliminado da série D - que é de 27%. E o Nacional só não aparece como lanterna do grupo porque o Náutico perdeu quatro pontos por escalar jogadores irregulares.   Mesmo com o cenário nada animador, o volante Lídio disse que o que resta é ganhar e acreditar, já que agora o time não depende apenas de si para se classificar.

“Uma campanha muito ruim incomoda a todos do grupo. Agora, é acreditar até a última  rodada. Vamos ter que ganhar deles (Rio Branco), do Vilhena, decidir na última rodada contra o Náutico e torcer que o Remo no mínimo empate com o Rio Branco no último jogo”, declarou.

Em Manaus, insatisfação

Enquanto o Nacional -  que chegou às 10h da manhã de ontem em Manaus - tenta juntar os cacos e levantar a cabeça para a próxima partida, parte da torcida do clube  descontou sua insatisfação na sede do clube. A porta do consultório do dr Antônio Guimas, que integra a sede do clube, foi quebrada e jogaram tinta azul na parede do local. Segundo o presidente do Nacional Mário Cortez, os envolvidos já foram identificados.  “O pessoal não gostou do resultado do jogo, beberam demais e fizeram essa balbúrdia. São jovens e, inclusive, já identifiquei e vou esperar eles ficaram ‘bons’ e chamá-los”.

Publicidade
Publicidade