Segunda-feira, 26 de Outubro de 2020
ÚLTIMA INSTÂNCIA

STJD define por anulação do Campeonato Amazonense de 2020

Com a decisão, o Nacional FC e o Fast Clube são diretamente beneficiados por serem os melhores times do Estado no ranking da CBF e terão calendário em 2021



WhatsApp_Image_2020-09-30_at_14.58.09_52513818-957A-4ED5-9257-C379A6E8ADE1.jpeg
30/09/2020 às 15:17

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou na manhã desta quarta-feira (30), o recurso da Federação Amazonense de Futebol contra a decisão do TJD-AM de retomar o Campeonato Amazonense de 2020. O órgão decidiu por não acatar o retorno do Barezão, retomando a validade da decisão entre os clubes e a FAF que aconteceu no último dia 20 de março. Na ocasião, ficou definido que as vagas das competições nacionais serão distribuídas de acordo com o ranking da CBF.

Com a decisão, o Nacional FC e o Fast Clube são diretamente beneficiados por serem os melhores times do Estado no ranking da CBF ao lado do Manaus FC, que já está na terceira divisão da competição nacional. E quem acaba saindo sem calendário para o ano de 2021 é o Penarol de Itacoatiara e o Amazonas FC, que no Barezão de 2020, agora oficialmente cancelado, foi o líder da classificação geral e chegou até a fazer a final do primeiro turno contra o Manaus, quando acabou derrotado por 4 a 1.



“Aparentemente parece que é algo definitivo, não sabemos, mas o Nacional irá ficar com uma das vagas na Série D de 2021 por conta do ranking da federação, tendo em vista que o Manaus já tem uma vaga na competição nacional, sendo na Série C ou na D. E o Fast por estar cinco posições à frente da gente”, disse o diretor financeiro do Leão da Vila Municipal, Samir Dias, diretor financeiro do Nacional.

Entenda o caso

No dia 20 de março, em reunião dos clubes com a Federação Amazonense de Futebol, seis dos oito clubes decidiram pelo cancelamento da competição. Desta forma, o campeonato não teria rebaixados, ou um campeão e seria como se edição desta temporada não tivesse existido, ficando apenas à cargo do presidente da entidade, Dissica Valério, definir como seria feito para distribuir as vagas nacionais para a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro da Série D.

Mas no dia 8 de julho, o presidente Dissica, através de uma resolução, divulgou uma nota oficial no site da Federação Amazonense de Futebol, definindo pelo término do campeonato, mas sem um campeão ou times rebaixados, e usando a classificação geral para preencher as vagas nacionais de 2021. Desta forma, Amazonas FC e Penarol foram os beneficiados, por um ter terminado como líder e o outro o terceiro colocado do certame.

E no dia 17 de agosto, o pleno na Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas (TJD-AM), de forma unânime, acompanhou o voto do relator, o Dr. Jaime Pereira e decidiu pela retomada do Campeonato Amazonense de futebol, usando como argumento que todos os estaduais das outras federações estão tendo continuidade ou tendo data para serem finalizados, sendo mais justo que os clubes decidissem todas as pendências dentro de campo. À época, o Fast Clube e o Nacional apoiaram a decisão, enquanto o Amazonas foi contra.

Cabe recurso?

O Doutor Edson Rosas, presidente do TJD-AM, disse que em âmbito esportivo, esta é a última instância em termo jurídico, e que se os clubes quiserem recorrer para justiça comum, podem ser punidos severamente pela entidade.

“O STJD decidiu por reformar a decisão tomada pela primeira reunião dos clubes com a federação, sendo assim, invalidando o que aconteceu posteriormente envolvendo a resolução e a decisão do TJD. O STJD é a última instancia que um clube pode recorrer, caso algum clube que tenha se sentido prejudicado queira procurar a justiça comum, precisa ter em mente que pode ser punido pela confederação”, finalizou.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.