Publicidade
Esportes
NA COPA

Suíço que mora em Manaus homenageia rua 3 do Alvorada em vitória do Brasil na Copa

Franz Schuler vive na capital há 26 anos e morou na tradicional rua enfeitada em época de Copa do Mundo. Hoje, para acompanhar a seleção Brasileira no estádio russo, ele vestiu uma camisa especial 22/06/2018 às 16:26 - Atualizado em 22/06/2018 às 20:12
Show whatsapp image 2018 06 22 at 12.07.15
Franz viu o jogo dramático das arquibancadas do Estádio de St. Petersburgo, vestindo a camisa em referência à Rua 3 do bairro Alvorada. Foto: Divulgação
Jéssica Santos Manaus - AM

A emocionante vitória do Brasil sobre a Costa Rica pelo placar de 2 a 0, nos acréscimos, deixou todo mundo pulando em frente à TV nesta sexta-feira (22). Então, como teria sido assistir à partida lá das arquibancadas do Estádio de São Petersburgo? O suíço Franz Schuler, que reside em Manaus há 26 anos, viveu essa experiência, e ainda aproveitou para fazer uma homenagem à Rua 3 do bairro Alvorada, famosa por ser uma das mais enfeitadas e agitadas em época de Copa do Mundo.

Franz foi ao jogo usando uma camiseta que faz referência à famosa rua. “Morei muito tempo na rua 3, e ainda tenho um grande carinho pelos moradores de lá!”, conta ele.

Assim como nós, a torcida brasileira em St. Petersburgo sofreu com a demora da bola para encontrar a rede da Costa Rica, conta Franz. “A expectativa era alta, meu palpite era 4x0... Então mais alta ainda foi a tensão e agonia de o gol não sair”, afirma ele, que falou também sobre a atuação dos jogadores da seleção canarinho.

“O Neymar até resolveu jogar, mas foi muito marcado. Se o “cai cai” para, ele vai arrebentar até o final. O Marcelo estava sobrando e deveria receber mais jogadas, não vi ele errar nenhum passe. O resto do time não merece uma citação especial, na minha opinião, fora Coutinho, claro, que de novo achou uma brecha e tirou o peso”, conclui Franz.

Franz disse que foi sozinho ao estádio, mas que sempre faz “amigos temporários” nos jogos. “Assisti ao jogo ao lado da Fernanda, baiana que mora na Itália, e que assistiu ao primeiro jogo dela em copas. Ela estava muito emocionada também, como todos os brasileiros”, conta ele, que também tem amigos permanentes por lá.


Vista aérea da Rua 3 durante a montagem da decoração para este ano: Foto: Márcio Silva

“Eu conheço uns russos que foram conhecer a Amazônia. Mas infelizmente não tinham ingressos para o jogo. Pelo menos trouxe uma camisa da seleção pra eles, que vestiram com prazer, apesar de ainda terem a Rússia como favorito, mas com simpatia enorme pelo Brasil”, destacou ele.

O suíço contou também que o empate do primeiro jogo da fase de grupos, entre Brasil e Suíça, foi um resultado bom e já esperado por ele. “A minha previsão para aquele jogo era mesmo um empate, mas sigo o rumo com o Brasil agora. A razão de eu vir à copa era o jogo entre Brasil e Suíça, pois sempre disse que se eles jogassem um contra o outro, eu iria para a Copa. Aqui estou! Vou ver o jogo da Suíça num bar na avenida hoje”, conta Franz, que logo vai matar a saudade da sua terra natal, mas antes vai visitar a Alemanha.

LEIA MAIS: Veja as impressões de Franz após o jogo entre Brasil e Suíça

“Amanhã (23) vou ver o jogo da Alemanha em Berlim, e ver a agonia deles, talvez eu veja até a eliminação deles. Caso eles passem, quem sabe deixam a Suíça se classificar; depois vou passar um mês na Suíça para visitar a minha família e amigos, antes de regressar para Manaus”, conta Franz.

Publicidade
Publicidade