Publicidade
Esportes
Feminino

Superação é o lema do Compensinha FC no Peladão Feminino

Meninas do time da Zona Norte de Manaus superam as dificuldades após o abandono do fundador da equipe e agora vem conquistando seu espaço no torneio 25/11/2017 às 14:00
Show ana
Compensinha tá virando um Compensão (Foto: Antônio Lima)
Denir Simplício Manaus (AM)

De time desacreditado a franco atirador do Peladão Feminino 2017. Essa é a trajetória do Compensinha FC, que foi “abandonado” pelo principal apoiador da equipe e mesmo assim segue firme na luta pelo improvável, mas não impossível título da temporada.

Comandada dentro de campo por uma veterana do futebol feminino, a lateral Vanda Sena, 35, as meninas do Compesinha estão superando as dificuldades e despachando as rivais jogo após jogo.

“Nós viemos de uma grande dificuldade porque o rapaz que montou o time nos abandonou e ficamos com apenas um apoiador, que nos ajuda como pode”, revelou Vanda Sena comentando que a equipe se vira como pode pra continuar no Peladão.

“Nós temos dificuldades com transporte porque tem jogadora que mora no Iranduba, no Cacau (Pirêra), Tancredo (Neves, na Zona Leste)... nós representamos a Compensa, mas são poucas as que moram lá”.

Na última rodada o Compensinha atropeou o Sampdória (Foto: Antônio Lima)

Se as meninas da Compensa ralam fora de campo pra se manter no torneio, dentro das quatro linhas o time vem dado show de bola sobre as adversárias. Já são quatro vitórias em seis jogos na competição.

A última vítima foi o Sampdoria FC, que apanhou de 6 a 0 da equipe da craque Gisellen, 21, uma das artilheiras do Peladão Feminino 2017.

“Esse é o meu primeiro ano que estou jogando o Peladão pelo Compensinha. Antes jogava futsal e Copa dos Rios”, disse a atacante que é cria de Iranduba, na região metropolitana de Manaus. “Na Copa dos Rios, já joguei aqui pelo Iranduba, também fui jogar por Anori e por Manaquiri”, enumera a artilheira do Compensinha que “viaja” toda semana para o único treino semanal do time. “Sempre vou de ônibus ou táxi pro treinos que acontecem toda quarta feira, e volto no mesmo dia pra Iranduba”, disse.

Gisellen vem do Iranduba pra marcar seus gols pelo Compensinha (Foto: Antonio Lima) 

Fundado esse ano exclusivamente para a disputa do Peladão, o Compensinha FC tem outras feras no elenco, como a atacante Mara, que fez um golaço de bicicleta na última rodada. Mas também se destacam Adriana, Mahele, Sarah e a própria Vanda Sena, que foi uma das precursoras das Guerreiras do Hulk, sendo tetracampeã amazonense com o Iranduba nos primeiros anos de fundação do clube.

Time se vira com ação de marketing

Sem grandes patrocinadores, o time do Compensinha faz ação de marketing pra conseguir o básico para se manter na disputa, como água, medicamentos e frutas nos dias dos jogos. 

“Estou há 20 anos no futebol feminino e sempre foi assim, a gente nunca tem apoio e nós mesmos é que temos de nos virar”, relatou Vanda Sena que arrumou inteligentemente uma maneira de angariar fundos para amenizar as despesas com a equipe. A jogadora coloca o nome dos apoiadores na camisa de passeio do Compensinha, são eles:

Autoescola Karime; borracharia Ademir; Rodrigo autopeças; Leny; D e M Modulados e planejados; F. Nunes; @titocraque7; Casa Maná; Eriek LD; Claxciane-games-variedades; Central Refrigeração; Campos distribuidora; Madereira Cavalcante; Ilma Confecções; I.E Distribuidora; Panificadora Bom gosto; Fran salgados; Larissa Gomes; Priscila Thamy Tattoo; Maranhão mecânica automotiva; Mesc. Bênção de Deus; Mercadinho Manuella e Mercadinho Cearense.

 

Publicidade
Publicidade