Quinta-feira, 23 de Setembro de 2021
Olimpíadas do Japão

Surfe: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Silvana Lima estão nas quartas dos Jogos

A organização dos Jogos informou que as finais do sufe, que estavam previstas para quarta-feira, foram antecipadas para terça-feira devido a uma tempestade tropical que afeta o calendário da modalidade



gettyimages-1330660415_A271003D-803A-4AA3-8E40-99393299130D.jpg Gabriel Medina. Foto: Reuters
News thumb afp d084093c bf21 4ede 853c 0cfb6068260d AFP
26/07/2021 às 09:28

O Brasil classificou três representantes para as quartas de final do torneio de surfe dos Jogos de Tóquio, nesta segunda-feira, na praia de Tsurigasaki, a 100 km da capital japonesa.

E a organização dos Jogos informou que as finais do sufe, que estavam previstas para quarta-feira, foram antecipadas para terça-feira devido a uma tempestade tropical que afeta o calendário da modalidade, uma das novidades de edição Tóquio-2020.

Na disputa feminino, Silvana Lima derrotou por 12.17 a 7.50 a portuguesa Teresa Bonvalot, e vai enfrentar a americana Carissa Moore, quatro vezes campeã do Circuito Mundial. Já a gaúcha Tatiana Weston-Webb não conseguiu superar a japonesa Amuro Tsuzuki e foi eliminada nas oitavas (10.33 a 9.00).

Entre os homens, Gabriel Medina e Ítalo Ferreira avançaram de fase. Numa bateria muito disputada, Medina superou o australiano Julian Wilson por 14.33 a 13.00 e vai disputar uma vaga nas semifinais contra o representante da França, o taitiano Michel Bourez.

Ítalo, que caiu no mar na bateria seguinte a do compatriota, venceu o neozelandês Billy Stairmand por 14.54 a 9.67. Ele vai enfrentar na próxima etapa o japonês Hiroto Ohhara e o peruano Miguel Tudela.

"Uma medalha aqui significa muito porque é muito difícil chegar até aqui. Significa muito trabalho e dedicação, e as pessoas sabem", afirmou o bicampeão do circuito mundial (2014 e 2018).

Medina e Ferreira - campeão mundial de 2019 - integram a geração que transformou o país na grande potência mundial do esporte, conhecida como "brazilian storm".

"Depois de 2014, senti que todo mundo começou a assistir e tentar entender mais sobre o surfe", disse Medina.

"Onde eu vou no Brasil, as pessoas me reconhecem como surfista. É incrível. Antes de 2014 tinha uma vida e depois uma vida completamente diferente", completou.

Ferreira acredita que uma medalha de ouro em Tóquio reforçaria o status do Brasil no surfe mundial.

"É especial representar o seu país e ter o apoio dos brasileiros", disse.

"Para os surfistas no Brasil é especial porque, no passado, Austrália e Estados Unidos dominavam o surfe", acrescentou.

As previsões do tempo anunciam ondulações para terça-feira com a chegada de uma tempestade tropical, o beneficia os surfistas, mas o estado do mar deve ser mais calmo na quarta-feira, o que prejudicaria as competições na praia de Tsurigasaki.

Com a decisão, o surfe terá o último dia de disputas nesta terça-feira nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o que inclui as quartas de final, as semifinais, as disputas pelo bronze e as finais, tanto da categoria masculina como da feminina.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.