Publicidade
Esportes
BRASILEIRO FEMININO

Técnico do Hulk pede atenção para não aumentar a estatística de gols sofridos

O período que o Iranduba mais levou gols no Brasileiro foi nos primeiros 10 minutos do segundo tempo. Além da tática, Adilson Galdino vem trabalhando a atenção das atletas 07/08/2018 às 03:20
Show zcr030707 p01
Foto: Euzivaldo Queiroz
Camila Leonel Manaus (AM)

Durante as duas semanas de pausa no Brasileirão Feminino, o técnico Adilson Galdino aproveitou para corrigir falhas e aperfeiçoar o esquema de jogo do time, que pretende consolidar o que tem de melhor nos três jogos que restam na primeira fase. Mas uma coisa que não passou despercebido foi a questão da atenção do time durante os jogos, principalmente no início do segundo tempo.

O pedido do técnico se justifica com números. Dos nove gols sofridos pela equipe no Brasileirão Feminino, quatro deles aconteceram nos dez primeiros minutos da segunda etapa. Inclusive a Ferroviária, adversária desta quarta-feira (8), na Fonte Luminosa, em Araraquara (SP), foi um dos times que entram nesta estatística.

Na terceira rodada do primeiro turno, Ludmilla empatou a partida aos quatro minutos do segundo tempo. Além da Locomotiva,  Sport (com Nicoly aos oito minutos), o São José (com Michelle aos nove minutos) e o Corinthians (com Milene aos quatro minutos) também marcaram logo que os times voltaram dos vestiários. Os outros gols se dividem em dois no primeiro tempo (um aos seis minutos e outro aos 30) e três levados após os 20 minutos do segundo tempo (dois na faixa dos 20 minutos de jogo e um após os 40).

“Nós tentamos melhorar esse comportamento em relação ao último jogo porque temos cobrado nos treinos essa atenção, principalmente no início do segundo tempo, que era o momento que a gente vinha falhando, mas no decorrer dos jogos, as meninas vêm sentindo mais confiança e acreditamos que não teremos as dificuldades que tivemos contra o São José”, explica. A partida contra o São José, pela 10° rodada, foi o único jogo que o Iranduba sofreu gol antes dos 10 minutos de partida (o gol de Michelle foi aos seis minutos). 

“O professor está trabalhando bastante essas questões e principalmente nas nossas transições do ataque para a defesa, para sermos mais rápidas e tem dado certo”, disse a meia Priscila Back.

Gols sofridos pelo Iranduba no Brasileiro:

Sport (2° Rodada): oito minutos do segundo tempo

Ferroviária (3° Rodada): Raquel, aos quatro minutos do segundo tempo e Ludmilla aos 21 do segundo tempo

São José (5° Rodada): Michelle, aos nove minutos do segundo tempo

Corinthians (6° Rodada): Milene, aos 37 do primeiro tempo e Grazi, aos 23 do segundo tempo

Corinthians (9° Rodada): Milene aos quatro minutos do segundo tempo

São José (10° Rodada): Michelle aos seis minutos do primeiro tempo e Fernanda, aos 44 do segundo tempo

Publicidade
Publicidade