Publicidade
Esportes
CLÁSSICO CENTENÁRIO

Primeiro Rio-Nal na Arena da Amazônia será neste sábado (06)

Assim como aconteceu no primeiro turno, Rio Negro novamente trocou de técnico na véspera do Rio-Nal. A bola da vez é João Carlos Cavalo, que foi demitido do Fast. Para o Naça a vitória vale a classificação. Para o Galo vale a manutenção do sonho da semifinal 05/05/2017 às 20:49 - Atualizado em 06/05/2017 às 13:03
Show zcr0206 20r frase
João Carlos Cavalo teve que arrumar a casa do Rio Negro (Foto: Márcio Silva)
Camila Leonel Manaus (AM)

Um clássico centenário em um novo palco. Assim será o Rio-Nal que acontece neste sábado (6) às 15h, na Arena da Amazônia. Além da rivalidade que envolve a dupla Nacional e Rio Negro, também está em jogo a classificação para a próxima fase do estadual.

No primeiro turno, o clássico foi vencido pelo Galo da Praça da Saudade, quebrando um tabu de 11 anos sem vencer o   Leão, mas para a partida deste sábado, o Rio Negro chega com uma situação totalmente diferente.

Quando enfrentou o Nacional, o Rio Negro estava invicto - e tinha acabado de demitir o então  técnico, Aderbal Lana, contratando o ex-volante da Seleção Brasileira, Alemão, que fez sua estreia justamente no Rio-Nal. Desta vez, o barriga preta vem de uma sequência de quatro derrotas e está fora do G4. Um desafio para o estreante João Carlos Cavalo, que teve dois dias para arrumar o time e, assim como Alemão, vai fazer sua estreia também no Rio-Nal.

“Dois dias de trabalho e eu procurei fazer o básico sem colocar muita informação para os atletas. Procurei fazer um posicionamento, trabalhei a bola parada e fiz o que achei que era necessário para conseguirmos vencer”, explicou o treinador que volta ao Rio Negro, clube que o revelou como jogador e treinador, depois de  14 anos.

Sem muito tempo para mexer na parte tática do time, o treinador aproveitou para dar uma injeção de ânimo no elenco. “Ele nos deu um novo ânimo pra buscarmos a classificação. O que ele falou que mais chamou minha atenção foi ele expor nossas qualidades. Que muitas das vezes nos atletas acabamos esquecendo, devido aos maus resultados”, disse o atacante Leonardo. O Índio Negro, artilheiro do Galo no Barezão, foi o autor do primeiro gol da vitória por 2 a 0, quebrando um tabu de nove anos sem balançar as redes do Naça e ele reconhece que o time precisa repetir o desempenho do primeiro Rio-Nal do ano.

“É o jogo da nossa vida. Precisamos dessa vitória. Estou motivado. Não por ser o Nacional, mas estou com 35 anos, a carreira está perto do fim. Então estou tentando desfrutar o máximo possível  dela, com gols, grandes partidas e títulos”, completou.

Já na toca do Leão, o objetivo é encaminhar a classificação com dois jogos de antecedência.  “É um jogo muito importante na nossa classificação. Sabendo que o jogo não vai ser fácil porque do outro lado tem jogador bom também e sabemos que quem perder vai ser difícil de classificar”, disse o meia Charles, do líder Naça. Apesar do rival estar numa situação menos confortável do que a do Nacional, o técnico Arthur Bernardes fala em focar apenas no jogo da sua equipe.

“Todos temos problemas e a nossa meta é classificar. As dificuldades existem e clássicos são definidos em detalhes. Temos um foco e não olhamos para os lados. Precisamos muito da classificação e vamos lutar”, sentenciou.

 

Ficha Técnica

Nacional: Marcelo Valverde, Vagner, Victor, Jeferson S, Iury, Diego Soares, Romarinho, Alexsandro, Jefferson A Paulo Roberto e Tiago Bastor. Tec: Arthur Bernardes

Rio Negro: Pablo. Wagner Diniz..Rafael Vitor, Dedimar, Charles, Rafael Paulista, Leandro, Delciney, Ítalo, Léo e Arthur. Tec: JC Cavalo

Estádio: Arena da Amazônia  

 Árbitro: Ivan Guimarães Jr

Motivo:  6ª rodada do returno Horário:   15h (transmissão da TV A CRÍTICA).

Publicidade
Publicidade