Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
POR POUCO

Tenista Novak Djokovic tem ano espetacular, mas termina temporada a uma vitória de feito histórico

Sérvio de 34 anos perdeu a final do US Open e a chance de vencer os quatro maiores torneios do esporte em um só ano



Novak-Djokovic-estreia-com-vitoria-US-Open_EE678C23-0685-45F6-87B2-A7ED02E534EE.jpeg Foto: Reprodução/Internet
22/09/2021 às 16:11

Novak Djokovic chegou muito perto, mas não foi dessa vez que um tenista voltou a ganhar os quatro Grand Slams em um mesmo ano. O tenista sérvio de 34 anos perdeu a final do US Open para o russo Daniil Medvedev, atual número dois do mundo, em 12 de setembro, e acabou conquistando “apenas” três dos quatro maiores torneios do mundo em 2021.

Somente o americano Don Budge em 1938 e o australiano Rod Laver, em 1962 e 1969, conseguiram o feito, chamado “Grand Slam” ou “Calendar Grand Slam”, em toda a história do esporte.



Considerado um dos melhores jogadores de tênis da história, Djokovic foi derrotado pelo Russo em três sets, todos fechados em 6-4, em Nova Iorque. Foi a primeira vitória de Medvedev, de 25 anos, em Grand Slams, e serviu para evitar o que seria o terceiro título do sérvio no US Open.

Foi contra o mesmo Medvedev que Djokovic comemorou o Australian Open em fevereiro, sua nona conquista no torneio, dando início a um ano espetacular. Em 2021, Medvedev também chegou nas quartas-de-final do French Open e foi eliminado na quarta rodada em Wimbledon.

Em junho, Djokovic levou a melhor sobre o grego Stefanos Tsitsipas no French Open para conquistar seu segundo troféu em Roland Garros. O último Grand Slam da impressionante sequência veio um mês depois, em seu sexto triunfo em Wimbledon, sobre o italiano Matteo Berrettini.

Ao total, Djokovic derrotou seus adversários em 27 partidas seguidas nos quatro torneios, um recorde absoluto em Grand Slams. O sérvio ultrapassou os já citados Rod Laver e Lew Hoad, que conseguiram uma sequência de 26 vitórias.
Para Djokovic, a derrota custou caro. Além de ter perdido a chance de se tornar apenas o terceiro nome da história do tênis masculino individual a conquistar os quatro títulos em um ano, o sérvio também deixou de conquistar o vigésimo primeiro Grand Slam de sua carreira.

O número o faria alcançar a liderança no quesito, já que os contemporâneos Roger Federer, da Suíça, e Rafael Nadal, da Espanha, também possuem 20 troféus. Os três são considerados os melhores jogadores de tênis masculino da história, junto com os americanos Pete Sampras e Andre Agassi.

Rod Laver, que ganhou o apelido de “foguete” durante sua carreira, também faz parte da lista. O australiano, inclusive, estava presente na final do US Open entre Djokovic e Medvedev, pronto para parabenizar o sérvio caso o atleta tivesse conseguido repetir o seu próprio feito, o que não aconteceu.

Apesar de espetacular e genial, o ano de Djokovic poderia ter sido ainda melhor – e não apenas pela derrota na final do US Open. Nas olimpíadas de Tokyo, o sérvio foi eliminado na semifinal para o alemão Alexander Zverev, que posteriormente levou a medalha de ouro. Djokovic, por sua vez, perdeu também a decisão da medalha de bronze para o espanhol Pablo Carreño Busta.

Caso tivesse conquistado tanto a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tokyo quanto o US Open, o lendário tenista de 34 anos teria feito algo que apenas a alemã Steffi Graf conquistou em toda a história do esporte.

Graf, que encerrou a carreira em 1999, conquistou os quatro Grand Slams de 1988 e a medalha de ouro na olimpíada de Seul, no mesmo ano. O feito é chamado de “Golden Grand Slam”, ou “Grand Slam de ouro”.

A alemã também é a única tenista da história a ter vencido cada um dos quatro torneios que compõem o circuito Grand Slam por pelo menos quatro vezes. Tal feito nunca foi alcançado no tênis masculino.

Graf tem 22 grand slams ao todo. A americana Serena Williams, que ainda está na ativa, tem 23. Já a australiana Margaret Court conquistou 24 títulos de primeira grandeza ao longo de sua carreira.

É difícil imaginar que Djokovic consiga manter o nível atual para tentar o Golden Grand Slam em 2024, quando Paris irá receber os Jogos Olímpicos de verão. Uma nova campanha espetacular para tentar os quatro troféus em um mesmo ano parece mais viável, ainda que extremamente difícil de se repetir.

Ainda assim, o primeiro passo da nova tentativa já tem data para acontecer: o Australian Open acontece em Melbourne de 17 a 30 de janeiro de 2022. Já o French Open, também conhecido como Roland Garros, acontece de 22 de maio a 5 de junho. Pouco depois, de 27 de junho a 10 de julho, é a vez de Wimbledon. A próxima edição do US Open começa em 29 de agosto e termina em 11 de setembro.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.