Publicidade
Esportes
Em segredo

Técnico da Colômbia esconde jogo, fecha treino e evita falar sobre escalação

Treinador também falou da importância da partida e da preocupação com Neymar 06/09/2016 às 16:17
Show j p
José Pékerman fugiu das perguntas sobre a escalação do time e não revelou a equipe titular. (Foto: Winnetou Almeida)
Valter Cardoso Manaus-AM

Às vésperas do jogo contra o Brasil, em Manaus, a seleção colombiana continua com o clima de mistério.  Se no domingo (04) os colombianos mostraram apenas 15 minutos do treino, nesta segunda a comissão técnica da seleção fechou o treinamento por completo. Apesar do mistério, a tendência é que a base do time seja mantida.

Mas uma alteração é certa, o volante Torres, titular da equipe que está suspenso por acúmulo de cartões amarelos, embora o técnico colombiano José Pékerman não tenha confirmado o substituto. O treinador resumiu apenas que espera substituir o jogador à altura com os atuais atletas do elenco.

Apesar das constantes e mais variadas perguntas feitas na estrevista coletiva sobre o time que entra em campo nesta terça-feira (06), José Pékerman foi evasivo e evitou definir nomes. Nem mesmo Cuadrado, um dos jogadores citados por Tite como motivo de preocupação, foi garantido na equipe principal.

“Vou avaliar a condição dele, então veremos se podemos usá-los”, finalizou o treinador.

Campanha colombiana

Enquanto se esquivava das perguntas, o treinador preferiu destacar o caráter decisivo da partida.

“É um jogo especial porque marca as Eliminatórias, tanto para o Brasil quanto para a Colômbia”, analisou o técnico colombiano, sobre a distância das equipes na competição. Atualmente, apenas um ponto separa as seleções.

A equipe colombiana vem de uma campanha de recuperação nas Eliminatórias. Após um início irregular, o time conseguiu se reerguer e venceu seus últimos três jogos, sequência que colocou a seleção na terceira posição da tabela. Uma vitória sobre a Seleção Brasileira pode levar os colombianos à primeira colocação, dependendo da combinação de resultados da rodada.

“Estamos muito melhores. Não só nos resultados, mas em perspectiva de futuro, e o futuro hoje está muito mais claro do que há seis meses atrás”, revelou Pékerman.

Sobre Tite à frente da Seleção

Por falar em mudança, o treinador reconheceu que ainda não consegue fazer uma análise da Seleção Brasileira devido ao pouco tempo de trabalho de Tite.

“É muito difícil ter definições completas do Brasil. Não me atrevo, é muito prematuro”, garantiu o técnico.

Mesmo assim, Pékerman analisou duas “ameaças” brasileiras: uma mais nova, Gabriel Jesus, e outra arma antiga, Neymar. Apesar de discurso sereno falando do atacante palmeirense, o comandante da Colômbia demonstrou mais preocupação com Neymar e falou que o brasileiro pode acabar decidindo a partida, se tiver oportunidade. 

“Como jogador é fantástico, todos querem vê-lo jogar. Desequilibra e é muito perigoso no um contra um”, finalizou ele.

Publicidade
Publicidade