Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
De Boca no Nissin

Tevez troca o Boca pela China e se torna o sexto mais caro do mundo

Atacante argentino foi negociado junto ao Shanghai Shenhua por mais de 84 milhões de euros (cerca de R$ 280 milhões) e pode se transformar no atleta mais bem pago do planeta com salário estimado em 753 mil dólares por semana



teve.JPG
Tevez já posou com a nova camisa do time chinês onde fechou acordo de dois anos de contrato (Foto: Divulgação)
29/12/2016 às 11:09

Carlos Tevez tornou-se a mais recente estrela do futebol internacional a se mudar para a Super Liga Chinesa, após o Shanghai Shenhua ter confirmado a contratação do atacante argentino em um acordo com o Boca Juniors. 

“O Shanghai Greenland Shenhua FC chegou a um acordo de transferência com o Boca Juniors. Carlos Alberto Tevez oficialmente uniu-se ao Shanghai Shenhua”, disse o clube em comunicado em seu site.

Embora nenhum detalhe financeiro sobre o acordo tenha sido revelado, relatos na imprensa sugeriram que o clube chinês pagou 84 milhões de euros (286 milhões de reais) por Tevez, que voltou à Argentina no ano passado após passagens pela Inglaterra e pela Itália. 

O alto preço tornaria Tevez o sexto jogador mais caro do mundo, atrás de Paul Pogba, Gareth Bale, Cristiano Ronaldo, Gonzalo Higuain e Neymar, de acordo com a site alemão de informações sobre futebol transfermarkt.com.

Tevez também pode se tornar o jogador mais bem pago do esporte, com um salário estimado em cerca de 753 mil dólares (2,5 milhões de reais) por semana, sob um contrato de dois anos com o Shanghai Shenhua.

O jogador de 32 anos é o segundo contrato multimilionário a chegar na maior cidade chinesa em menos de uma semana, após o meia brasileiro Oscar ter sido contratado pelo Shanghai SIPG, rival do Shenhua, em um acordo estimado em 60 milhões de euros (205 milhões de reais) com o Chelsea. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.