Domingo, 19 de Maio de 2019
PELADINHO 2016

Time Guerreirinhos vai batalhar pelo bicampeonato do Peladinho

A equipe aposta em Danyllo Leocádio, um dos artilheiros do time, para superar o Palas Atena na final do Peladinho, marcada 28 de janeiro



GUERREIROS1111.jpg
Danyllo Leocádio é um dos artilheiros da equipe. (Foto: Nickson/A crítica)
20/01/2017 às 05:00

O time Guerreirinhos está pela segunda vez consecutiva na grande final do Peladinho. Atual campeã da competição, a equipe irá batalhar pelo bicampeonato contra o time Palas Atena 2002, no próximo dia 28. A equipe Guerreirinhos vem da escolinha oficial do Fluminense em Manaus.

O técnico do time, Jairo Seixas, disse que o diferencial da equipe é a união. “Os garotos estão juntos há muito tempo, um conhece o outro, eles brincam, mas quando é sério, é sério, disciplina em primeiro lugar. Eles já viajaram para competir juntos, já venceram campeonatos juntos também; alguns estiveram na conquista do Peladinho na última edição do campeonato e, este ano, chegam confiantes para a final”, disse.

Jairo diz que confiança não falta para ele antes de uma final, até porque essa será sua sétima decisão de Peladinho. “Eu pergunto, não sei pra que essa agonia de nervosismo (risos). Fui campeão pelo 3B, pelo Aliança/Compensão, Panair e pelo Guerreirinhos, no ano passado, e perdi três decisões também, mas foram todas experiências boas”, disse o experiente técnico.

O time finalista trabalha junto há dois anos, e em 2016, eles participaram de várias competições. “Nós trabalhamos os jogadores desde cedo para que eles estejam prontos para jogar no ano seguinte. E o time que vai jogar o próximo Peladinho já está pronto, por exemplo. Assim, saímos na frente dos times que ainda vão buscar jogadores para suas equipes”, explicou Jairo. Para a final do campeonato, o time manteve o mesmo ritmo de treinamento, que acontece três vezes por semana, na Arena Laranjeiras, localizada no bairro de Flores, Zona Centro-Sul.

O adversário dos Guerreirinhos será o Palas Atena, que também está sempre em destaque no futebol infanto-juvenil. “Nós jogamos contra o Palas na primeira fase, aliás, dos quatro times que chegaram à fase final, três estavam na mesma chave no início do campeonato; foi dureza. Nosso primeiro jogo contra Palas na primeira fase foi 1x1, então sabemos que será um jogo equilibrado, pois foram as duas melhores equipes que chegaram à final, mas a expectativa é muito boa para a decisão” disse o treinador.

O coordenador técnico Jorginho Barreto está na escolinha Guerreirinhos desde sua fundação há quatro anos. “Sempre buscamos montar um time competitivo, temos de 30 a 40 títulos só no futebol de campo, pois não trabalhamos com futsal. Participamos de bastantes competições e viajamos também para campeonatos, como a Copa Roraima, que é um campeonato difícil, internacional, e também vamos todo ano para o Festival Guerreirinhos no Rio, com a participação das melhores equipes da franquia Guerreirinhos, do Fluminense.

Destaque da equipe

Danyllo Leocádio, 14, é atacante e um dos artilheiros da equipe. Ele foi campeão no ano passado pelo time Guerreirinhos, e este ano está na expectativa pela final do campeonato novamente. “Na final, em 2015, eu fiquei bem nervoso, mas agora estou bem mais confiante para a decisão”, disse ele.

Dizem que Danyllo tem DNA de campeão. Isso porque o jovem artilheiro é neto de Nilson ‘Bebé’, ex-jogador do Sul-America e campeão da primeira edição do Peladão, em 1973, pelo time Atlética Paroquial (JAP),do bairro do São Raimundo.

Danyllo começou a jogar bola aos cinco anos de idade, por incentivo do pai, também jogador. Por ironia, Danyllo começou numa equipe de futsal do Palas Atena, seu adversário da final, e somente no ano retrasado começou a jogar futebol de campo. “Eu gosto muito dos treinos, agora está bem puxado, mas me divirto e jogo futebol todos os dias, de manhã, de tarde e de noite, se minha mãe deixar”, disse.

Danyllo tem o sonho de jogar por um grande time do Brasil no futuro. “Toda criança hoje em dia quer ser jogador de futebol e o meu não seria diferente”.

A mãe de Danyllo, Mara Eufrásio, tem muito orgulho do filho único e acompanha todos os seus passos. “Eu e o pai do Danyllo sempre estamos presentes nos treinos e nos jogos dele, nas viagens também quando a gente pode; é fundamental. Nós fazemos questão de participar de tudo, e para os jogos, nos mobilizamos, tentamos fazer uma festinha legal para eles, e se é cedo, fazemos um café. Na final do Peladinho, planejamos estar todos na arquibancada para recebê-los, e se o time ganhar eles terão uma festa, porque só por chegar à final, eles já merecem uma festa, mas se a vitória vier será muito bem-vinda”, disse Mara.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.